0

Cielo mostra preferência por piscina curta: "tem em todo quintal"

24 ago 2012
23h10
atualizado às 23h55

Se ficou desapontado com seu desempenho nos Jogos Olímpicos de Londres, Cesar Cielo agora, duas semanas depois do evento, só tem a comemorar. No Troféu José Finkel, realizado em São Paulo, o atleta do Flamengo tem somado grandes resultados desde segunda-feira e os justifica pelo fato de o torneio ser disputado em piscina curta, de 25 m em vez dos tradicionais 50 m.

Atleta (esq) ajudou equipe do Flamengo a igualar recorde em revezamento nesta sexta
Atleta (esq) ajudou equipe do Flamengo a igualar recorde em revezamento nesta sexta
Foto: Contrapé / Divulgação

"Eu gosto muito de piscina curta, sempre nado bem porque é que nem quadra dura, qualquer clube, qualquer quintal tem uma. Então sou super familiarizado, me sinto em casa e nado bem melhor do que na longa", comparou o nadador.

Favorito por conta do ouro em Pequim 2008, Cesar Cielo ficou apenas com o bronze no 50 m em Londres. Na mesma prova, no José Finkel, ele levou o ouro anotando 20s59, um segundo mais baixo do que a marca na última Olimpíada. A diferença se justifica pela impulsão dada na hora da batida dos 25 m, o que deixa os tempos de todos os nadadores mais rápidos.

Nesta sexta-feira em São Paulo, Cielo venceu o 100 m livre - prova que se arrependeu de ter disputado em Londres. O tempo de 45s91 surpreendeu o flamenguista, que assim conseguiu índice para o Mundial de piscina curta em Istambul, na Turquia, em dezembro.

"Sinceramente, se não tivesse o placar eu não acreditaria que fiz esse tempo. Esperava 46s5 porque quando nadamos 100 m em piscina curta acaba formando muitas ondas, o que prejudica bastante. Mas foi muito melhor do que eu imaginei, foi uma surpresa muito boa, que me deixa ambicioso para a próxima temporada", festejou ele, que ainda teria mais duas provas para se orgulhar.

Nos 50 m borboleta, Cesar Cielo liderou a segunda série da semifinal com o tempo de 23s29, mas ficou atrás de Nicholas Santos, que atingiu a marca de 23s07 no geral. Já na última prova do dia, o revezamento 4x100 m livre, o paulista, junto com o time do Flamengo, terminou em primeiro lugar, com o tempo de 3m10s52, igualando o recorde do Pinheiros, em 2010 - o que não garante pontuação melhor ao clube carioca.

"Nossa Senhora, eu fechando a prova peguei muita onda e foi difícil porque assim que mergulhei comecei a sentir dor na perna. A gente mirou o recorde, mas muito em cima, poderia ser um centésimo a menos para conseguirmos mais pontos. Mas o Flamengo fez uma sessão muito boa, estão todos de parabéns", declarou o nadador, que no sábado ainda disputa a final dos 50 m borboleta e o revezamento 4x100 m medley.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade