0

Norueguesa cai em prantos ao lembrar morte de amigo nadador

29 jul 2012
05h27
Leandro Miranda
Direto de Londres

Uma cena inusitada marcou a saída dos atletas da natação no Centro Aquático de Londres após as baterias de classificação deste sábado, primeiro dia da modalidade na Olimpíada. Enquanto concedia entrevista à imprensa de seu país, a norueguesa Ingvild Snildal começou a chorar copiosamente e precisou ser amparada por seu treinador para deixar o local. O motivo: era falava sobre o compatriota Alexander Dale Oen, nadador que morreu em abril deste ano, vítima de um ataque cardíaco.

» Saiba tudo sobre os medalhistas do Brasil em Londres
» Veja como foram as conquistas dos brasileiros
» Veja mapa e conheça tudo sobre o Parque Olímpico de Londres
» Confira a programação de ao vivo do Terra
» Veja a agenda e resultados dos Jogos de Londres

"Estou devastada porque queria nadar por ele, queria honrá-lo", disse Ingvild, que terminou em 22º nas classificatórias dos 100 m borboleta e não entrou entre as 16 semifinalistas. A atleta era amiga de Dale Oen e costumava treinar com ele antes das competições.

Campeão mundial dos 100 m peito no Mundial de Xangai, no ano passado, Dale Oen foi encontrado inconsciente no banheiro do hotel onde estava hospedado em Arizona, nos Estados Unidos. Ressuscitado com massagem cardíaca, ele foi levado a um hospital, mas não resistiu e morreu no mesmo dia. O nadador, 26 anos, tinha um raro problema no coração que nunca havia sido detectado.

Amigo e rival do norueguês nos 100 m peito, o sul-africano Cameron van der Burgh - que se classificou facilmente às semifinais, com o sexto tempo - também falou sobre o episódio. Segundo ele, todos os nadadores que conheciam Dale Oen estão nadando em memória do atleta.

"Ficar sem Alex é um sentimento curioso, pois éramos bons amigos. Na preparação, aquecimento, sempre nos falávamos. É estranho. Acho que todos nós estamos tentando nadar por ele, lembrá-lo pela grande pessoa que era. Muitos estão bem concentrados, não conversam entre si agora. Mas depois com certeza falaremos disso", afirmou.

Atleta precisou ser amparada pelo treinador para deixar a zona mista
Atleta precisou ser amparada pelo treinador para deixar a zona mista
Foto: Leandro Miranda / Terra
Fonte: Terra
publicidade