0

Thiago Pereira se diz "pronto" para ser maior medalhista dos Pan-Americanos

9 jul 2015
17h24
  • separator
  • comentários

O nadador Thiago Pereira disse estar "pronto" para conquistar pelo menos quatro medalhas em Toronto e se tornar o maior medalhista da história dos Jogos Pan-Americanos.

"Não será fácil, claro que não, mas me sinto preparado e pronto para esse grande desafio", disse à Agência Efe o brasileiro, que ganhou 18 medalhas nas três últimas edições da competição continental.

Aos 29 anos, Thiago está a quatro medalhas de igualar o ginasta cubano Erick López e uma do maior medalhista brasileiro, o também nadador Gustavo Borges, que conquistou 19.

"Olhando para trás e me lembrando do meu primeiro Pan (Santo Domingo, em 2003), eu nunca imaginei estar nesta situação e ter a oportunidade de ser o maior medalhista da história", declarou.

Na edição da capital dominicana, o atleta brasileiro conseguiu uma medalha de bronze e uma de prata. Quatro anos depois, no Rio de Janeiro, foram seis ouros, uma prata e um bronze, o mesmo desempenho que teve na edição de Guadalajara, em 2011.

Thiago Pereira está inscrito em oito provas, sendo cinco individuais. A primeira será a de revezamento 4x100 livre, que começa no dia 14.

Para alcançar o objetivo de ser o maior medalhista do Pan, o vice-campeão olímpico em Londres terá como principais rivais os nadadores americanos, embora essa competição não reúna os maiores nomes dos Estados Unidos no esporte.

"Os EUA têm uma natação muito forte, independentemente dos nadadores, mas aqui (Toronto) eles não têm sua principal equipe, que conta com nomes como Ryan Lochte e Michael Phelps", opinou.

Apesar dessas ausências, o brasileiro considerou que os EUA possuem "grandes nadadores", por isso que terá que estar "muito concentrado, principalmente em provas mais curtas e nas de revezamento".

"Se eu consiguir o recorde, não será só do Thiago, também será dos companheiros de equipe, dos que fazem parte dessa seleção", disse o porta-bandeira da delegação brasileira.

Em sua opinião, um dos segredos para concluir com sucesso sua "missão" de empatar, ou até mesmo superar o ginasta cubano, é ser "cauteloso", pois será uma "semana longa e difícil".

"Tenho um pensamento positivo, treinei muito bem, mas é uma competição e ninguém ganha as provas antes de começar", disse o nadador, que é o brasileiro com mais medalhas de ouro no Pan-Americano, 12.

Caso não consiga atingir a meta traçada, Thiago ainda teria a chance de alcançar o objetivo em Lima, em 2019. No entanto, aos risos, o nadador disse que não pode pensar a tão longo prazo, pois três semanas após Toronto começa o Mundial de Natação, no dia 24 de julho, em Kazan (Rússia). Depois, os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

"Até Lima há muito caminho pela frente, mas vamos ver, vamos passo a passo e depois, mas quem sabe", declarou.

EFE   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade