0

Figueirense arranca empate com Atlético-MG fora de casa e quebra tabu

16 nov 2014
21h41

O empate em 1 a 1 entre Atlético-MG e Figueirense, na noite deste domingo, em jogo no Independência, em Belo Horizonte (MG), quebrou uma sequência de seis jogos sem somar pontos como visitante, por parte da equipe catarinense. Após abrir o placar no último lance da etapa inicial, o Figueirense sofreu o empate no início do segundo tempo, mas conseguiu resistir à pressão atleticana para quebrar o tabu. Por outro lado, apesar do tropeço, o Galo segue com apenas uma derrota dentro de casa na Série A.

Apesar de protagonizar as jogadas ofensivas desde o início, o Atlético-MG viu o Figueirense sair na frente do placar em uma dos únicos ataques dos catarinenses. No último lance da primeira etapa, já aos 45 jogados, o lateral Jefferson aproveitou a liberdade e arriscou de fora da área para marcar um golaço. O lateral levou sorte no lance, e acertou um petardo indefensável no ângulo de Victor.

Na volta dos vestiários, Levir Culpi abriu mão de alguns garotos para colocar os titulares Luan e Carlos em campo. Em jogada que envolveu o atacante Carlos, prata da casa, outro menino da base atleticana, Dodô, foi o responsável pelo gol de empate, aos sete minutos do segundo tempo. Após desvios de cabeça de Carlos e Josué, a bola sobrou para Dodô emendar um chute de primeira e deixar o placar em igualdade.

Na próxima rodada, já neste meio de semana, o Atlético-MG encara o Flamengo ainda sonhando com uma vaga no G-4, apesar de ainda estar brigando pela vaga na Libertadores em virtude da decisão na Copa do Brasil. Já o Figueirense segue na luta contra a degola e, quarta, vai ao Rio de Janeiro para enfrentar o Botafogo.

O jogo

Mesmo com a equipe titular recheada de garotos, já que o técnico Levir Culpi resolveu priorizar a decisão da Copa do Brasil, o Atlético-MG, desde o primeiro minuto, mostrou que estava disposto a jogar em busca do gol a todo momento, fazendo jus ao estilo de jogo ofensivo do Galo dentro do Independência.

Se faltou calma aos garotos para concluir alguns lances, sobrou movimentação ao Atlético-MG no campo de ataque. Apesar da forte dinâmica dos donos da casa no setor ofensivo, a primeira chance concreta de gol surgiu em lance de bola parada. O garoto Dodô sofreu falta na entrada da área e, na cobrança, a bola passou raspando a trave direita de Tiago Volpi.

Mais solto em campo, o Atlético-MG dominou as ações ofensivas ao longo da etapa inicial, chegando a somar impressionantes 71% de posse de bola. Com tantos garotos do meio para frente, coube aos experientes Pierre e Josué - que formaram a dupla de volantes - a responsabilidade de ditar o ritmo no meio-campo.

Paciente na troca de passes, o Atlético-MG explorava todas as faixas do campo buscando um espaço para encaixar uma jogada de efeito. Bem orientados por Argel Fucks, os atletas do Figueirense, por muitas vezes, colocaram-se completamente atrás do meio-campo, construindo duas linhas de quatro sólidas na marcação. A energia que os mandantes usavam para atacar, os visitantes gastavam para defender.

Somente aos 36 minutos jogados, o Figueirense concluiu ao gol pela primeira vez, em lance isolado de Marcão. Na sequência, Pablo também teve uma chance de fora da área, e obrigou Victor a fazer grande defesa. Mas quem teve êxito na tentativa foi Jefferson. Segunda opção para a lateral direita, o jogador acertou um petardo de fora da área para abrir o placar em favor do Figueirense no último lance da etapa inicial.

Na volta dos vestiários, atrás do placar, Levir Culpi sacou os garotos Eduardo e Marion para a entrada dos titulares Luan e Carlos, que deram outro ritmo ao Galo. Imprimindo muita velocidade pela direita, o atacante Luan, conhecido como talismã pela torcida por fazer gols em jogos decisivos, foi responsável por criar a jogada do gol de empate dos donos da casa, aos sete minutos da etapa complementar.

Após cruzamento do camisa 27, a bola foi escorada de cabeça por Carlos e Josué antes de encontrar o garoto Dodô. Livre de marcação, o atacante teve calma para esperar a bola cair e emendar um belo voleio no contrapé do goleiro Tiago Volpi. Após estrear como titular com gol diante do Palmeiras, Dodô voltou a marcar em seu segundo jogo entre os onze iniciais.

À exemplo da primeira etapa, agora com o placar em igualdade, o Atlético-MG passou a pressionar o Figueirense no campo de ataque. Com mais volume de jogo, e alternando passes em profundidade, triangulações e inversões de jogo, o Galo passou a rondar a área catarinense na tentativa de virar o placar e buscar os três pontos.

Porém, o Figueirense resistiu a pressão com a defesa bem organizada e conseguiu somar um ponto importante fora de casa na luta contra o rebaixamento. O Atlético-MG, apesar de ter melhorado com as alterações de Levir Culpi - que colocou alguns titulares em campo - não conseguiu romper a retranca catarinense e acabou amargando um empate diante de seus torcedores.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade