0

Absolvição de Carlos Alberto, deixa Flu mais tranquilo no caso Deco

22 mai 2013
21h19
atualizado às 22h34

A absolvição de Carlos Alberto, na tarde desta quarta-feira, pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro, deixou o Fluminense um pouco mais tranquilo no caso do meia Deco. Isto porque, o luso-brasileiro foi pego no exame antidoping com a mesma substância do vascaíno - hidroclorotiazida e carboxi-tamoxifeno. Assim, a decisão favorável ao meia do Vasco é vista como um bom presságio para o advogado do Fluminense, Mário Bittencourt.

- A defesa do Fluminense está sendo feita de modo a se adequar a do atleta, mas a defesa técnica dele é sigilosa, feita pelos advogadoas contratados por ele. A absolvição do Carlos Alberto nos deixa mais confiantes, porque já temos um decisão do tribunal, no qual vai ser julgado, absolvendo um caso idêntico e isso nos dá confiança - explicou o advogado, lembrando que Deco não está sendo defendido pelo próprio clube, como é o caso de Carlos Alberto e sim por Marcos Motta e Bichara Neto, contratados pelo luso-brasileiro e também presentes no julgamento.

Mesmo com a confiança, Mario Bittencourt não garantiu a absolvição de Deco, explicando que a comissão que julgou o meia do Vasco pode não ser a mesma que irá julgar o apoiador do Tricolor.

- Precisamos ressaltar que foi uma das oito comissões disciplinares do tribunal, de primeira instância, que julgaram o Carlos Alberto. Pode-se notar que dentro da própria comissão existiram divergências de votos e obviamente que temos que aguardar qual comissão vai julgar o Deco. Ele pode cair em outra e ter um resultado desfavorável, cabendo recurso. O caso do Carlos Alberto se toronou um excelente indício de como uma parte do tribunal está pensando neste caso. Temos que aguardar, porque se fosse uma decisão do pleno do TJD, nós teríamos um caminho melhor em relação do que vai acontecer com o Deco - afirmou.

Deco foi pego no exame antidoping, após a partida contra o Boavista, ontra o Boavista, no dia 30 de março e está suspenso de forma preventiva por 30 dias. O julgamento do apoiador ainda não está marcado, mas as provas já foram apresentadas pela defesa do jogador, no último dia 22. Assim como Carlos Alberto, Deco acusou a farmácia Silvestre Foliage por conter as substâncias proibidas em um complexo vitâminico da farmácia de manipulação.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade