2 eventos ao vivo

Antes de assinar com Shakhtar, Bernard pediu conselho a Felipão

9 ago 2013
14h10
atualizado às 14h54
  • separator
  • 0
  • comentários

A grande preocupação de Bernard para assinar com o Shakhtar Donetsk seria a chance de "sumir" no leste europeu e ser esquecido por Luiz Felipe Scolari. Mas, para sanar uma certa insegurança antes da viagem para a Ucrânia, onde acertou a transferência do clube mineiro para o time vermelho e laranja por 25 milhões de euros, o atleta revelou que foi atrás de Felipão e pediu conselho ao técnico da Seleção Brasileira.

<p>Bernard é novo reforço do Shakthar</p>
Bernard é novo reforço do Shakthar
Foto: Shakhtar / Divulgação

"Eu queria qualquer conselho, eu fui atrás, pedi o telefone. Ele disse para ter tranquilidade, conversar com a família e ter a escolha que meu coração mandasse e fiz isso. Independente da escolha, a família estaria junto. Ele tranquilizou essas situação e conselho de técnico da Seleção é sempre bem vindo. Foi um conselho a mais e forte", declarou o jogador, em entrevista ao programa 98 Futebol Clube, da Rádio 98 FM.

E Bernard irá se encontrar com o comandante brasileiro na semana que vem, quando irá se apresentar à Seleção neste domingo, para o amistoso contra a Suíça na Basileia. Lá, poderá ter ainda melhor uma ideia do que Scolari achou de sua ida para o leste europeu.

"Vou para a Seleção domingo, dia 15 irei para BH e dia 23 irei em definitivo para a Ucrânia para conseguir a adaptação e a Uefa Champions League começa em setembro. Vai meu pai, minha mãe, meu primo, talvez minha irma. Aos poucos vai uma galerinha", disse.

Bernard também teve papo com Lucescu

Na sua estadia em Donetsk, Bernard já teve o primeiro contato com seu futuro treinador, o romeno Mircea Lucescu, que é ex-jogador da Seleção e jogou contra o Brasil na Copa de 1970, ficando encantado com o futebol nacional. Com outros nove brasileiros no elenco, Bernard já comentou que Lucescu se preocupa em fazer um programa tático que capacita os brazucas a adaptarem a habilidade natural com a forte marcação.

"Já tivemos conversa com o técnico sobre isso, é um futebol mais pesado, de contato. Mas como ele é fissurado como brasileiros, ele monta tática que não haja contato. Ele gosta de brasileiros do meio para frente. A maioria que vão querer carregar a bola, passar de dois, três. Ele pega o jogador e faz de uma maneira que não haja contato. Welligton Nem foi e machucou, o Fernando também. Farei trabalho para pegar massa muscular. Não quero ficar muito forte para não perder a agilidade", disse.

 

Fonte: Lancepress! Lancepress!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade