0

Apesar de atentado, governo angolano confirma Copa Africana

9 jan 2010
15h23
atualizado às 16h38

O Governo de Angola confirmou neste sábado que, apesar da saída de Togo devido ao atentado de sexta-feira na província de Cabinda, a Copa Africana de Nações começará neste domingo como estava previsto.

Apesar de Togo ter se retirado, Copa Africana será realizada, diz Angola
Apesar de Togo ter se retirado, Copa Africana será realizada, diz Angola
Foto: Reuters

» Governo do Togo chama seleção de volta após atentado
» Veja imagens do atentado
» Togo abandona Copa Africana; mortes podem chegar a 4
» Togoleses apontam feridos e relatam atentado: "parecia guerra"

Assim disse em nome do governo, o ministro de Comunicação Social de Angola, Manuel Rabelais. Segundo ele, a seleção de Gana, que avaliava se retirar do torneio, participará da competição.

O ministro condenou com veemência o ataque que a guerrilha separatista da Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC) realizou na última sexta-feira contra o ônibus da delegação do Togo.

Ao mesmo tempo, Rabelais garantiu novamente a segurança durante a realização da Copa Africana, para ele um acontecimento esportivo que simboliza a amizade entre os povos do continente.

Da mesma forma, o ministro da Juventude e Esporte de Angola, Gonçalves Muandumba, lamentou o incidente e reafirmou, em nome do governo, que o ocorrido não afeta a organização, e que o torneio seguirá adiante.

"Vamos reforçar e redobrar todo o mecanismo de segurança do evento enquanto tivermos as condições para garantir o sucesso, a tranquilidade e a segurança das pessoas e seus bens, como previsto nos planos da organização", afirmou à agência de notícias local Angola Press.

O ministro, também coordenador adjunto da Comissão Ministerial de Monitoração da Organização da Copa Africana de Nações, antecipou que os órgãos competentes estão trabalhando para esclarecer o ocorrido e responsabilizar os culpados.

EFE   
publicidade