0

Após absolvição, Carlos Alberto diz: 'parece que nasci novamente'

22 mai 2013
20h10

Após ser absolvido pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) de uma acusação de doping, o meia Carlos Alberto se mostrou bastante aliviado. O jogador foi flagrado no exame antidoping com as substâncias hidroclorotiazida e carboxi-tamoxifeno após a partida contra o Fluminense, no dia dois de março, válida pelas semifinais da Taça Guanabara.

- Estou completamente aliviado. Parece que eu nasci novamente. Espero sempre fazer meu melhor de maneira digna e honesta - disse.

Caso fosse punido, o jogador poderia pegar até dois anos de suspensão. Por isso, o jogador comparou a absolvição com um título. Vale lembrar que a procuradoria ainda pode recorrer da decisão.

- Nessa situação, ganhei meu primeiro título do ano. Espero conquistar mais alguns títulos na carreira e a Luciana (Lopes) vai ser uma pessoa que jamais será esquecida para minha carreira e para minha família - afirmou.

Além disso, Carlos Alberto fez questão de mostrar gratidão pelo trabalho de Luciana Lopes, advogada do Vasco, que o defendeu durante todo o caso.

- Na vida existem poucas coisas que a gente guarda, dentre elas a gratidão. Pela educação que a minha família me deu, nunca esqueci de ser grato a quem me ajudou. Vou ser grato a Luciana eternamente - afirmou.

Antes do julgamento, Carlos Alberto ficou preventivamente suspenso e, consequentemente, impedido de jogar. No entanto, ele mostrou que está com vontade de voltar ao trabalho.

- Fiquei alguns dias sem treinar e confesso que a parte psicológica ficou um pouco receosa. Gastei mais energia do que eu pensava. Esses dias não treinei, estava mais cansado do que se tivesse treinando. Mas se os profissionais do clube avaliarem que eu tenho condições de jogar, eu jogarei. Mas terei de passar por uma série de avaliações. Agora é comemorar esse momento. Se me perguntar se eu poderia jogar agora, eu jogaria. Foi devolvido o meu direito. Foi tirado em algum momento por algumas questões técnicas e operacionais, mas graças a Deus foi provado - concluiu.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade