0

Autoridades e jogadores do Togo homenageiam vítimas do atentado

15 jan 2010
12h53
atualizado às 23h21

O presidente e o primeiro-ministro do Togo, Faure Gnassingbé e Gilbert Fossoun Houngbo, assistiram, nesta sexta-feira (15), a uma homenagem solene em memória das vítimas do atentado de sexta passada contra o ônibus que levava a seleção de futebol do país a Angola para disputar a Copa Africana de Nações (CAN) junto com vários ministros e deputados.

O ataque, reivindicado por separatistas no enclave de Cabinda, deixou dois mortos: o assessor de imprensa Stanislas Ocloo e o auxiliar técnico Abalo Amelete.

Também participaram da homenagem os jogadores da seleção, liderados pelo atacante do Manchester City Emmanuel Adebayor, e os membros da comissão técnica.

Os dois caixões foram cobertos com a bandeira do país africano. "Stanislas e Amelete, a bravura de vocês sempre nos permitiu ir muito longe. Vocês sempre foram verdadeiros combatentes. Pobres dos que lhes mataram, pois vocês foram vítimas de um crime hediondo", declarou Adebayor, de pé diante dos dois caixões, durante a oração fúnebre.

"Vocês sempre estarão presentes em nossos corações, pois foram verdadeiros guerreiros", acrescentou o craque togolês, companheiro de Robinho no Manchester City.

A CAN-2010 começou domingo passado, sem o Togo, que se retirou do torneio. O páis ficou três dias de luto pelo acontecido.

Jogadores do Togo lamentaram mortes
Jogadores do Togo lamentaram mortes
Foto: AP
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade