7 eventos ao vivo

Bielsa está próximo de renovar contrato com Chile, diz imprensa

16 jul 2010
13h57
atualizado às 14h25

O argentino Marcelo Bielsa está a um passo de renovar seu contrato como técnico da seleção chilena e só restam detalhes para que seja oficializado, disse nesta sexta-feira a imprensa local. O contrato de Bielsa, que assumiu o comando da equipe em agosto de 2007, vence no final deste mês, depois da participação da equipe no Mundial da África do Sul.

Marcelo Bielsa deve continuar como treinador da seleção chilena
Marcelo Bielsa deve continuar como treinador da seleção chilena
Foto: Getty Images

"Só faltam detalhes para que Bielsa e a ANFP (Associação Nacional de Futebol Profissional) cheguem a um acordo", dizia a manchete do jornal local La Tercera. "Entre os pontos que estariam compreendidos estão a duração do vínculo, que seria de cinco anos, mas além disso uma cláusula de saída caso haja mudanças na atual mesa diretiva", acrescentou o jornal.

Bielsa, depois de uma breve viagem à Alemanha na semana passada, voltou ao país na quarta-feira para reunir-se com Harold Mayne-Nicholls, presidente do futebol chileno. A reunião durou cerca de quatro horas.

A vontade da ANFP é manter Bielsa até a Copa América de 2015, torneio que poderia ser realizado no país se o Brasil decidir trocar a organização que corresponde ao ano designado ao Chile em 2019.

"A continuidade de Bielsa é um fato, ainda que não seja oficial", disse o jornal La Nación.

Para completar, Bielsa havia exigido um maior respaldo dos clubes locais, o avanço na realização de um novo complexo desportivo e algumas substituições nos funcionários da seleção, segundo a imprensa.

A oferta proposta, no entanto, incluiria a supervisão por Bielsa da seleção juvenil sub 20, e a duplicação dos US$ 1,5 milhão (R$ 2,67 milhões) que recebem o treinador e sua comissão técnica por temporada.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade