0

Blatter revela surpresa com pedido de demissão do investigador da Fifa

17 dez 2014
16h50

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, admitiu surpresa nesta quarta-feira com o pedido de demissão de Michael J. García, que comandou a investigação sobre irregularidades nas escolhas de Rússia e Catar para sediarem as Copas do Mundo de 2018 e 2022.

"Estou surpreso pela decisão do Sr. García. O trabalho do Comitê de Ética, no entanto, continua e será parte central dos debates da reunião do Conselho Executivo, que acontecerá nos próximos dias", afirmou o dirigente, por meio de comunicado.

De acordo com a Fifa, a renúncia do cargo de presidente do órgão de instrução do Comitê de Ética tem "efeito imediato". Nos próximos dias, o Comitê Executivo se reunirá para designar um interino para o lugar de García.

O pedido de demissão acontece 24 horas depois que a Comissão Disciplinar da Fifa anunciasse que não existem motivos para abertura de expediente disciplinar contra o dirigente máximo do Comitê de Ética, o alemão Hans-Joachim Eckert, que concluiu que não houve irregularidades no processo de escolha as sedes.

Segundo o relatório de Eckert, que se baseava em outro elaborado previamente por Michael J. García, "vários incidentes podem ter ocorrido", mas "não comprometeram a integridade dos processos das candidaturas dos Mundiais 2018 e 2022".

EFE   
publicidade