0

Brasileiro do Qarabag lamenta erro após gol: "Fiquei doido para bater no juiz"

11 dez 2014
22h20

Na tarde desta quinta-feira, o surpreendente Qarabag poderia se tornar o primeiro clube do Azerbaijão a ultrapassar o estádio grupal da Liga Europa. Porém, a eliminação veio da pior maneira possível: com um erro de arbitragem, que anulou um gol legítimo do brasileiro Richard Almeida, nos acréscimos, contra a favorita Inter de Milão. A igualdade em 0 a 0 com a poderosa representação italiana, em Baku, encerrou o sonho do valente time, que deixou o gramado inconformado.

Visivelmente abatido, Richard Almeida revelou que quase agrediu o assistente Ondrej Pelikán, que anulou o tento legítimo, aos 48 minutos do segundo tempo. O auxiliar do árbitro tcheco Miroslav Zelinka levantou a bandeira após o chute do brasileiro, flagrando equivocado impedimento de George. Porém, além de estar em posição legal, o jogador do Qarabag não participou do lance, já que a bola desviou no interista Donkor.

"Entramos nos vestiários e um pouco depois o bandeirinha apareceu por lá. Fiquei doido para bater no cara. Mas, para não estragar meu trabalho e pegar uma grande punição, preferi dar um soco na parede. O vestiário foi todo quebrado. Ficamos com muita raiva, pois um erro ridículo prejudicou o time inteiro. O trabalho sério foi jogado fora pelo bandeirinha", disparou o brasileiro, em entrevista à Rádio ESPN.O Qarabag terminou sua participação no terceiro posto do Grupo F, somando seis pontos, e viu o Dnipro-UCR (7) se classificar no segundo lugar, atrás apenas da Inter (12). A lanterna da chave coube ao Saint-Étienne-FRA (5). Porém, a campanha honrosa não foi suficiente para consolar o brasileiro.

"Fomos roubados. Só porque ganharíamos da Inter, que é um time grande, o árbitro faz isso. Parece que um time pequeno não pode ganhar do grande. Se tivessemos classificado, seria uma festa histórica, pararia o país. Infelizmente, futebol é assim. Acabaram com nosso sonho", finalizou o injustiçado.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade
publicidade