4 eventos ao vivo

Boca vence amistoso e estraga festa palmeirense na despedida do Palestra

9 jul 2010
19h31
atualizado em 10/7/2010 às 01h35

O Boca Juniors, carrasco palmeirense nas campanhas da Copa Libertadores de 2000 e 2001, voltou a fazer papel de vilão em um momento histórico do time alviverde. Nesta sexta, o clube argentino venceu por 2 a 0 o amistoso que marcou a despedida do Palestra Itália, antes da reforma de dois anos que transformará o estádio em uma moderna arena.

Ainda comandado por Murtosa, enquanto aguarda a chegada de Luiz Felipe Scolari, o Palmeiras foi melhor no segundo tempo da partida, após as entradas de Tadeu e Marcos Assunção. A equipe, porém, não conseguiu reverter a vantagem construída pelo Boca na primeira etapa, com gols de Viatri e Muñoz.

Mesmo com a derrota, o público, de pouco mais de 17.786 pagantes, se despediu do estádio com uma bonita festa, cantando e colorindo as arquibancadas de verde, branco e vermelho nos momentos finais da partida.

O jogo

Contra um time misto do Boca Juniors, o Palmeiras foi dominado no início do jogo, envolvido pelo toque de bola rápido dos argentinos. A trajetória diferente da bola Jabulani, utilizada na partida, proporcionou lances como o do atacante Viatri, que, aos 9 min, quase abriu o placar em chute com efeito que passou próximo da trave do goleiro Bruno.

Recuado, com dificuldades na saída de bola, o clube alviverde sofreu o primeiro gol aos 18 min: Cañete cobrou falta e, após rebote do goleiro palmeirense, Viatri conduziu a bola com tranquilidade dentro da pequena área e deixou a zaga palmeirense para trás antes de marcar.

Em desvantagem, o Palmeiras passou a se impôr mais na partida, chegando a criar boa oportunidade em cabeçada de Kléber, aos 33 min. Mas o sistema defensivo voltou a falhar e o bom momento do time de Murtosa durou pouco. Aos 37 min, Bruno não alcançou a bola em chute de Muñoz e os argentinos abriram 2 a 0.

O placar claramente mexeu com os nervos palmeirenses. Cleiton Xavier furou cruzamento de Vítor de forma bizarra, aos 41 min, e na sequência levou cartão amarelo por falta violenta. O lateral direito também foi advertido com cartão antes do fim da primeira etapa, após discutir com Méndez.

No intervalo, Murtosa promoveu quatro mudanças para reverter o placar. Entraram o goleiro Deola, o zagueiro Léo, o volante Marcos Assunção e o atacante Tadeu. Saíram o goleiro Bruno, o zagueiro Maurício Ramos, o meia Lincoln e o atacante Ewerthon.

As trocas surtiram efeito e o Palmeiras voltou melhor na etapa complementar. Aos 7 min, Cleiton Xavier acertou bom chute de longe, que assustou o goleiro García.

Aos 10 min, novamente em um chute de longe, dessa vez com Marcos Assunção, o time alviverde chegou perto do seu primeiro gol. Aos 21 min, o mesmo Marcos Assunção teve chance de marcar em falta na entrada da área, mas cobrou sem precisão.

Só o clube brasileiro atacava no segundo tempo, e Murtosa deixou o time ainda mais ofensivo ao trocar o volante Márcio Araújo pelo atacante Vinícius, aos 24 min. Mesmo com a derrota, a torcida fez bonita festa nos últimos lances do estádio, antes da reforma. Faixas coloriram o estádio de verde, branco e vermelho.

Aos 38 min, Marcos Assunção criou a última boa oportunidade palmeirense, em chute da entrada da área que passou próximo ao travessão do goleiro García.

Em despedida do Palestra, Palmeiras perde para Boca
Fonte: Redação Terra
publicidade