0

Disputa política está por trás de permanência de Cuca

23 jul 2009
12h24
atualizado às 13h41

Depois de mais um tropeço no Campeonato Brasileiro, o Flamengo vive um clima de guerra nos bastidores. Parte da diretoria, encabeçada pelo vice-presidente de futebol Kléber Leite, defende a permanência de Cuca. Porém, outra parte, liderada pelo presidente em exercício Delair Dumbrosck, não está satisfeita com o trabalho do treinador.

» Fla mantém Cuca e usa exemplo do São Paulo de 2008
» Receba notícias do seu time pelo celular
» Torcida vaia Kléberson e Léo Moura
» Ao som de "Adeus, Cuca", Fla empata

"Sinceramente não estou satisfeito com a posição que o time está no Brasileiro", disse o presidente em exercício, que em entrevista à SporTV foi na contramão e defendeu a permanência de Cuca, usando o exemplo do São Paulo, tricampeão brasileiro em 2008.

"No ano passado, nós terminamos a primeira parte do campeonato 'nas cabeças' e eles lá embaixo. No final, o São Paulo é que foi campeão", declarou o cartola rubro-negro, lembrando o fato de o técnico Muricy Ramalho, hoje no Palmeiras, ter sido mantido no cargo.

Já Kléber Leite avalia que não há uma melhor opção no mercado como alternativa ao nome de Cuca. "Não vejo no mercado um nome que pudesse ajudar o Flamengo neste momento", comentou.

"Não podemos responsabilizar um treinador por um resultado em um jogo que o time estava cheio de problemas", emendou Kléber Leite, ao se referir aos seis desfalques que o Flamengo teve no empate (1 a 1) com o Barueri. O time atuou sem Fabrício, Wellinton, Everton, Toró, Juan e Zé Roberto.

Por trás dessa disputa está a eleição presidencial que acontecerá em dezembro deste ano. O presidente em exercício será candidato e Kleber Leite ou Plínio Cerpa Pinto, que ocupa um cargo na diretoria de futebol, será um dos adversários.

"Serei candidato, sim. Faz parte do acordo que fiz com o Márcio Braga quando eu assumi a presidência", disse o Dumbrosck.

O vice de futebol Kléber Leite alfinetou o futuro adversário. "Processo eleitoral é assim mesmo, mas as pessoas têm que entender que o Flamengo é mais importante que o sonho e o interesse pessoal. Algumas pessoas estão preocupadas com seu projeto pessoal", disse ele.

Em contrapartida, o presidente em exercício retruca o vice de futebol. "Todo mundo tem projeto pessoal. Agora, eu não vivo do futebol. Não tenho empresa de marketing esportivo, não tenho empresas de placas de publicidade e contratos com a federação como o Kleber", disse Dumbrosck.

No meio desse fogo cruzado está o técnico Cuca, que precisa de uma vitória sobre o Santos, no próximo fim de semana. para abafar a crise na Gávea.

"Ele está muito abatido", disse Kléber ao se referir às vaias da torcida e aos gritos de "adeus, Cuca" no empate com o Barueri.


Técnico Cuca sofre pressão e parte da diretoria é a favor de sua saída do Flamengo
Técnico Cuca sofre pressão e parte da diretoria é a favor de sua saída do Flamengo
Foto: Agência Lance
Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade