7 eventos ao vivo

Em treino quieto e confuso, Tricolor se reapresenta após goleada

Os jogadores entraram e saíram do gramado fazendo o menor barulho possível

25 nov 2015
10h17
  • separator
  • 0
  • comentários

Normalmente, quem está dentro do CCT da Barra Funda na hora do treino do São Paulo não tem dificuldades em perceber o que está rolando em qualquer um dos campos do local devido aos gritos e brincadeiras do elenco. Nesta terça-feira, porém, os jogadores entraram e saíram do gramado fazendo o menor barulho possível, algo que resultou até em um problema de comunicação durante a atividade.

No lance mais emblemático, Thiago Mendes roubou uma bola no meio durante o trabalho em campo reduzido e olhou para a direita, onde Wilder tinha a função praticamente de um ponta. Aparentemente, a ideia do meio-campista era que o colombiano disparasse em velocidade para receber o passe, mas a sua indicação com o braço direito, pedindo para o companheiro avançar, não foi correspondida. Wilder ficou parado, deixando Thiago tão revoltado que provocou um bico na bola do parceiro, jogando-a para as plantas que fazem a divisão com o CT palmeirense.[video-post id="2155885"]

Wesley, Reinaldo, Luis Fabiano e Denis, nomes que costumam falar bastante durante as atividades, passaram a desta tarde praticamente quietos. Sempre participativo nos treinamentos e um dos que mais gosta de tocar na bola nas movimentações, Wesley pediu a redonda em poucas ocasiões, o que surpreendeu até quem estava em campo. Daniel, por exemplo, disse que não viu o meio-campista partir livre pela direita nem o ouviu, perdendo contra-ataque ao tentar driblar Edson Silva.

O treinamento, por sinal, teve como protagonista Alexandre Pato. Ausente na goleada por 6 a 1 sofrida diante do Corinthians, em Itaquera, ele liderou outra goleada, dessa vez para o time que usava colete branco sobre a equipe sem colete, de Thiago Mendes e companhia. Com dois gols, completados por um de João Paulo e outro de Wesley, eles superaram os adversários por 4 a 1. Rogério descontou.

Milton Cruz e Zé Mario Campeiz, que compõem a reduzida comissão técnica, não interviram em nenhum momento, apenas apitando para marcar o intervalo e o encerramento da disputa. Na saída de campo, mais cara fechada e quase nenhuma conversa, outra cena pouco comum no Tricolor.

As ausências ficaram por conta dos zagueiros Luiz Eduardo e Breno, fora até a próxima temporada com problemas no joelho, do meia Paulo Henrique Ganso, impossibilitado por uma fadiga muscular na coxa direita, e do goleiro Rogério Ceni, que tenta se recuperar de uma ruptura no ligamento tíbio-fibular do tornozelo direito.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade