PUBLICIDADE
Logo do

Avaí

Favoritar Time

Entenda como o Avaí "colocou o Corinthians na roda"

16 nov 2009 - 17h37
(atualizado às 17h52)
Publicidade

No primeiro tempo, um jogo mais equilibrado. Após a expulsão de Balbuena, nos acréscimos da etapa inicial, um massacre tático do Avaí. Assim foi a visita do Corinthians, no domingo, a Florianópolis, onde foi batido por 3 a 1 na Ressacada.

» Fotos da vitória do Avaí
» William ofusca Ronaldo e põe Avaí na briga por Libertadores
» Marquinhos: "vieram ver Ronaldo, mas viram o Avaí"
» Veja as últimas do Avaí
» Veja as últimas do Corinthians

"Entendemos que administrar o jogo é uma coisa, ser moroso é outra. Eu não queria que quando o time passasse do meio, ficasse sem ser objetivo. Se tocássemos bem a bola e não deixássemos ela chegar no Ronaldo, nós matávamos a fonte. E ele ia perdendo a confiança", explicou Silas, em entrevista exclusiva concedida ao Terra.

Os números do Footstats provam a gritante superioridade de jogo do Avaí no segundo tempo. Antes do intervalo, o time de Silas trocou 150 passes, mas na volta a campo, com um a mais, colocou o adversário na roda, como se diz no futebol: 255 trocas de passes.

Com espaço para jogar, o Avaí usou e abusou do direito de inverter o lado nas jogadas ofensivas. No primeiro tempo, foram duas inversões. Após o intervalo, um crescimento impressionante: 16 viradas de jogo. "Nós treinamos isso. É uma forma de você ir para dentro, manter o adversário mais atrás", explica Silas.

O treinador ainda explica porque fez Augusto, o zagueiro pela direita na linha de três defensores, sair para o jogo como lateral após a expulsão de Balbuena. "O Dentinho precisou correr atrás dele. E aí o Ronaldo ficou isolado", conta Silas, que desta forma posicionou Luís Ricardo, o ala direito, como mais um atacante.

Tocando a bola, o Avaí praticamente imunizou seu sistema defensivo. Em 30 minutos do segundo tempo, o Corinthians não conseguiu finalizar vez contra Eduardo Martini. Só após o terceiro gol, de Léo Gago, é que os avaianos deram mais espaço e os corintianos chutaram três vezes, sem provocar muito perigo.

Jogar com um a mais, arma do Avaí

O que aconteceu no jogo contra o Corinthians não é novidade para o Avaí, que dominou praticamente todas as partidas em que teve superioridade numérica no Campeonato Brasileiro. Foram nove jogos com essa característica: o time de Silas ganhou sete.

"É uma vantagem que você não pode desperdiçar, principalmente quando joga contra times de muito talento individual. É preciso jogar junto o tempo todo", explica Silas.

Além de saber aproveitar bem a vantagem, o Avaí também está entre as equipes com menos expulsões do Brasileiro: seis. É apenas o 17º no quesito, atrás de Corinthians, Santos e Flamengo.

Os jogos do Avaí com superioridade numérica:*

Com vitória:
Avaí 3 x 2 Fluminense
Sport 1 x 3 Avaí
Avaí 4 x 0 Vitória
Avaí 2 x 1 Náutico
Avaí 3 x 0 Flamengo
Avaí 4 x 0 Barueri
Avaí 3 x 1 Corinthians

Com derrota:
Avaí 0 x 2 Internacional
Grêmio 3 x 1 Avaí

* O empate em 2 a 2 contra o Palmeiras, que teve a expulsão de Vagner Love, não foi computado, já que o cartão vermelho aconteceu nos acréscimos da partida no Palestra Itália.

Avaí tomou conta do jogo no segundo tempo e mais uma vez ganhou com 11 contra 10
Avaí tomou conta do jogo no segundo tempo e mais uma vez ganhou com 11 contra 10
Foto: Giuliano Gomes / Gazeta Press
Fonte: Terra
Publicidade