0

Lucas e Luis Fabiano apontam "mão solta" do árbitro e levam bronca

19 nov 2011
22h21
atualizado em 20/11/2011 às 00h36

O São Paulo terminou o jogo contra o América-MG vencendo por 3 a 1, mas com Xandão expulso, Lucas suspenso do clássico do próximo fim de semana contra o Palmeiras por ter recebido o terceiro amarelo e Luis Fabiano novamente punido com cartão. Os atletas apontam "mão solta" do árbitro Marcelo de Lima Henrique e são repreendidos por Emerson Leão. O técnico diz que todos sabiam disso.

» Paulo Baier = Agostinho? Veja sósias do Brasileiro
» Confira 50 opções de reforços grátis para seu time em 2012

"Fazemos um trabalho para acalmá-los. É só ver o retrospecto: esse árbitro dá muito cartão amarelo, vermelho, pênalti. Sei tudo isso e passo a eles. Infelizmente, lá dentro, parece que dá um bloqueio e acabam esquecendo. Fico na lateral gritando para que tenham paciência e entendam, mas mesmo assim preciso tirar o Luis Fabiano porque está discutindo já tendo cartão amarelo", chiou o treinador.

Os jogadores, porém, pareciam não lembrar do aviso mesmo depois da partida. "Rapaz, ele estava louco para me dar cartão. Meu lance não foi para cartão, mas ele estava com a mão solta, louquinho", reclamou Luis Fabiano, punido por falta ainda no primeiro tempo e substituído logo depois de derrubar um adversário na etapa final.

Já Lucas cometeu uma infração no meio-campo, quando a equipe já vencia por 3 a 0 e não tinha mais Xandão, expulso. Terá que cumprir gancho no Choque-Rei. "Foi a primeira ou segunda falta minha, e por critério dele fico fora do clássico . Fiquei ali chateado na hora, mas tinha que respeitar a decisão do árbitro", contou o meia-atacante.

Nenhuma explicação, porém, acalma Leão. O técnico ainda repreendeu Xandão, que levou o segundo cartão amarelo ao cometer falta no meio-campo. Devido à expulsão do zagueiro, quando o time tricolor ganhava por 3 a 0, os anfitriões no Morumbi atuaram com um a menos desde os 11 minutos do segundo tempo - foram 37 minutos nesta condição e um gol sofrido.

"O jogador precisa ter a medida exata da importância dele. Mais uma vez, já estávamos com o time modificado e tivemos que modificar de novo. Não consigo fazer uma substituição por tática, só por deficiência ou expulsão. Essas coisas atrapalham muito o treinador e o grupo de trabalho", reprovou o treinador.

Para corrigir os problemas, Leão foi forçado a trocar o atacante Fernandinho pelo zagueiro Bruno Uvini - que cortou mal a bola no lance do gol do América-MG - e sacar Luis Fabiano para a entrada do volante Casemiro. Sua única mexida sem pensar em cartão ocorreu ao tirar Dagoberto e promover a entrada de Rivaldo, para segurar a bola e manter os três pontos na soma são-paulina.

Autor de dois gols, Luis Fabiano, ao menos, comemora por não ter sido expulso e estar em condições de enfrentar o Palmeiras. "Independentemente do gol, é chato. Mas tudo bem. Ainda bem que não aconteceu nada, não levei mais cartão e estou disponível para o próximo jogo", aliviou-se o goleador, que cumpriu suspensão por acúmulo de amarelos na última rodada, na derrota para o Atlético-PR.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

publicidade