2 eventos ao vivo

No reencontro com Kléber, Palmeiras bate Cruzeiro e dispara

23 set 2009
23h50
atualizado em 24/9/2009 às 02h12

Apontado como maior vencedor da 25ª rodada antes mesmo de entrar em campo, o Palmeiras confirmou a condição na noite desta quarta-feira ao conquistar uma importante vitória dentro do Mineirão e abrir três pontos de vantagem na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. No reencontro com o ídolo Kléber, hoje também adorado do lado celeste de Minas Gerais, o time paulista bateu o Cruzeiro por 2 a 1, de virada, e se consolida na primeira colocação por, pelo menos, mais duas partidas.

» Veja fotos de Cruzeiro x Palmeiras
» Veja a classificação atualizada
» Confira a tabela e os resultados
» Receba os gols do seu time pelo celular
» Problemas no estádio? Mande seu relato
» Comente a vitória do Palmeiras

Com o triunfo suado, depois de ser pressionado durante a maior parte dos 90 minutos, a equipe do Palestra Itália alcança os 47 pontos e dispara na liderança, deixando para trás os rivais São Paulo, Internacional e Goiás, principais perseguidores no topo da tabela. Além disso, o resultado serve para confirmar o bom histórico alviverde diante dos rivais (venceram os quatro últimos duelos em Brasileiros) e encerra um jejum de quatro jogos sem vitórias como visitantes (a última foi no dia 01 de agosto, contra o Sport).

Enquanto o Palmeiras dá passo importante em busca do pentacampeonato, o Cruzeiro se vê cada vez mais distante da luta pelo título ou mesmo de vaga na próxima edição da Libertadores da América. Estacionado nos 32 pontos, o time celeste ocupa a intermediária 13ª posição e fica dez atrás do Goiás, atual quarto colocado, posto que abre a zona de classificação para o principal torneio sul-americano de clubes.

Durante a semana, as polêmicas serviram para apimentar o duelo entre mineiros e paulistas. Na primeira delas, o volante Fabrício apontou maldade nas entradas do palmeirense Diego Souza, que foram prontamente respondidas pelo meia. Já Kléber, com passagem vencedora no Palestra Itália, aproveitou uma viagem a São Paulo para fazer uma visita em festa promovida pela maior torcida organizada do clube alviverde, fato que gerou insatisfação dos fãs cruzeirenses.

Antes de a bola rolar, o camisa 30 recebeu o "perdão" dos torcedores celestes e voltou a ser titular depois de cinco jogos ausentes. No entanto, bem marcado por seus ex-companheiros e substituído no segundo tempo, Kléber deixou o gramado do Mineirão ouvindo xingamentos da maioria dos presentes nas arquibancadas e aplausos da minoria palmeirense presente no Mineirão.

Os primeiros minutos de bola rolando no Mineirão aconteceram em ritmo alucinante. Com o Cruzeiro tomando a iniciativa desde o início e o Palmeiras apostando nos contra-ataques, as duas equipes criaram boas chances e o placar não permaneceu em branco durante muito tempo. Aos 7min de jogo, Thiago Ribeiro recebeu lançamento entre os zagueiros do time paulista e só teve o trabalho de escolher o canto para tocar na saída de Marcos.

No entanto, a comemoração celeste nas arquibancadas foi freada apenas dois minutos depois. Alvo de polêmica durante a semana e apontado como jogador maldoso pelo rival Fabrício, Diego Souza chamou a responsabilidade e foi corado com um gol em cobrança de falta. De longe, o camisa sete usou a força e colocou muita curva para tirar do arqueiro Fábio para empatar a partida e recolocar o Palmeiras no duelo.

Com a nova igualdade no marcador, os mandantes retomaram o domínio e montaram verdadeira "blitz" sobre o time do Palestra Itália. Mostrando boa movimentação, o lateral Diego Renan apareceu duas vezes pelo lado esquerdo e por pouco não recolocou o Cruzeiro em vantagem. Em outros lances, o zagueiro Gil e o volante Fabrício levaram perigo à meta de Marcos. Já no lado oposto, a melhor chance da primeira etapa saiu nos pés do colombiano Pablo Armero, que parou em defesa de Fábio.

Na segunda etapa, a pressão mineira foi mantida assim que o apito soou no Mineirão, mas em um dos raros contra-ataques, o Palmeiras conseguiu passar à frente no placar. Em um erro de passe do cruzeirense Diego Renan no meio-campo, Cleiton Xavier pensou rápido e lançou Vagner Love em velocidade. Apagado durante a maior parte do duelo, o camisa 9 mostrou tranquilidade para sair do goleiro Fábio e tocar para as redes. Mas três minutos mais tarde, o colombiano Pablo Armero faz falta em Jonathan na entrada da área e foi expulso, deixando os paulistas com um jogador a menos.

Se estava pressionando quando o placar apontava a igualdade, o Cruzeiro se mostrou ainda mais ofensivo na etapa final, principalmente após levar o gol da virada, e criou diversas chances para empatar. Presente na área palmeirense durante todo o restante da partida, a equipe mandante parou na trave em uma finalização de Kléber e levou perigo em duas cabeçadas do zagueiro Leonardo Silva, mas não evitou a derrota e festa da torcida do Palmeiras, agora mais líder ainda.

FICHA TÉCNICA

Cruzeiro 1 x 2 Palmeiras

Gols
Cruzeiro: Thiago Ribeiro, aos 7min do 1º tempo
Palmeiras: Diego Souza, aos 9min do 1º tempo, e Vagner Love, aos 4min do 2º tempo

Polêmicas de arbitragem
- Reclamação cruzeirense de um suposto pênalti sobre Kléber logo aos 5min de jogo: pelo lado esquerdo do ataque, o camisa 30 saiu da marcação de Wendel e caiu no gramado após choque com o palmeirense, mas viu o juiz assinalar apenas tiro de meta para os visitantes;
- Dez minutos após a primeira reclamação, o time do Cruzeiro ficou inconformado com a arbitragem e pediu novo pênalti em seguida: depois de receber passe de Gilberto, o volante Fabrício finalizou por cima e receceu forte entrada de Jumar no momento do chute, em outro lance que o juiz considerou normal;
- Já nos acréscimos, em meio à grande pressão e já desespero na busca pelo empate, os cruzeirenses voltaram a reclamar de uma suposta nova infração dentro da área. Desta vez foi o lateral Diego Renan que tentou a investida pelo lado esquerdo e caiu após disputa de bola com Figueroa, em outro lance que a arbitragem decidiu não marcar nada;
- Aos 16min da etapa final, após cobrança de escanteio, Kléber sobe para o cabeceio na primeira trave e, com o cotovelo, acerta o volante Wendel, que cai no gramado e é substituído. O palmeirense deixou o Mineirão com suspeita de fratura na região do maxilar

Pontos Fortes do Cruzeiro
- Pressão exercida desde os primeiros minutos de jogo e entrosamento de Kléber e Diego Renan pelo lado esquerdo, setor das principais jogadas ofensivas dos mandantes

Pontos Fortes do Palmeiras
- Forte marcação exercida no meio campo e boa colocação da zaga no segundo tempo para segurar o ímpeto ofensivo do Cruzeiro

Pontos Fracos do Cruzeiro
- Má pontaria de seus atacantes na segunda etapa e espaços deixados para o Palmeiras contra-atacar

Ponto Fraco do Palmeiras
- Dependência de Diego Souza no meio campo e fragilidade demonstrada no lado direito da defesa

Personagem do jogo
Diego Souza, do Palmeiras

Destaque negativo do jogo
Kléber, que deixou o gramado vaiado pela torcida mineira e aplaudido pelos fãs palmeirenses

Esquema Tático do Cruzeiro
4-4-2
Fábio; Elicarlos (Guerrón), Leonardo Silva, Gil e Diego Renan; Fabrício (Jonathan), Henrique, Marquinhos Paraná e Gilberto; Thiago Ribeiro e Kléber (Wellington Paulista); técnico: Adílson Batista

Esquema Tático do Palmeiras
4-4-2
Marcos; Wendel (Figueroa), Maurício Ramos, Marcão e Armero; Jumar, Souza, Cleiton Xavier, Diego Souza; Robert (Maurício) e Vagner Love (Willians); técnico: Muricy Ramalho

Cartões Amarelos
Cruzeiro: Henrique e Gilberto
Palmeiras: Vagner Love, Cleiton Xavier, Jumar e Marcos

Cartões Vermelhos
Palmeiras: Armero

Árbitro
Evandro Rogerio Roman (PR)

Local
Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)





Fonte: Terra
publicidade