Brasileiro Série A

publicidade
23 de agosto de 2011 • 15h59 • atualizado às 16h35

Organizada do Corinthians promete nova revelação após clássico

Na segunda-feira, a torcida organizada divulgou uma carterinha corintiana de Kleber
Foto: Gaviões da Fiel / Divulgação

O atacante Kleber pertencer a seu quadro de associados não foi a única descoberta da Gaviões da Fiel. Depois de divulgar a ficha do jogador do Palmeiras, a torcida organizada corintiana promete nova "bomba" na semana seguinte ao clássico contra o maior rival.

"Na semana que vem, a gente virá com mais uma notícia", disse o diretor financeiro da organizada, Vinicius Pontes. Segundo ele, o palmeirense inclusive assiste a jogos do Corinthians, de acordo com informações. "Já tinha ouvido história de que ele ia ao estádio. E eu falo mais: uma grande personalidade do futebol diz que já deu ingresso para ele, que vê o jogo disfarçado."

De mês em mês, o departamento de mensalidade faz varredura nos mais de 93 mil cadastros. Foi assim que aconteceu a descoberta da ficha do palmeirense (número 57.619, datada de 23 de novembro de 2001), na segunda-feira, mesmo dia em que a torcida a divulgou publicamente.

Apesar da enquete criada no site da torcida organizada para que os torcedores decidam se Kleber deve ou não continuar como sócio, Vinicius Pontes afirmou que a maioria da diretoria vota por sua exclusão. "Só o fato de ele já ter colocado camisa da Mancha (Verde, principal organizada do Palmeiras) fere totalmente nosso estatuto, nossa paixão, nosso corintianismo", defendeu o diretor.

Para entrar na torcida, em 2001, Kleber precisou escolher um dos planos de adesão, o que o obrigou a pagar a taxa, no ato do cadastro, de pelo menos três meses. Atualmente, embora ainda pertença à lista de afiliados, o jogador palmeirense não tem mais as mensalidades em dia.

A provocação de corintianos a palmeirenses, a qual se alastrou pelas ruas e mídias sociais desde segunda-feira, seguirá até domingo. A Gaviões estuda se faz ou não algum ícone em alusão ao passado do jogador, mas promete, no mínimo, um grito de guerra em Presidente Prudente.

"O rapaz tem personalidade muito forte, e creio que essa história não vai afetá-lo. Mas o problema é coração. A gente não sabe, né? Se o coração é mesmo (corintiano), a perda pode bambear", contou Pontes, dando a dica de como poderá ser a provocação nas arquibancadas.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva