0

Para trazer Muricy, Palmeiras pressiona Luxemburgo

22 jun 2009
17h12
atualizado em 27/6/2009 às 16h27

Diretoria e comissão técnica do Palmeiras se reúnem entre hoje à noite e amanhã de manhã para dar uma notícia que, é bem provável, não vai deixar o treinador Vanderlei Luxemburgo muito feliz: gastos com comissão técnica serão cortados em 20%.

» Entenda a polêmica saída de Luxemburgo e a possível chegada de Muricy
» Palmeiras oficializa saída de Luxemburgo e vai atrás de Muricy
» "Muricy me pôs em xeque", desabafa Cuca
» Opine: Muricy pode ser um bom nome para o Palmeiras?

Hoje, a comissão técnica do futebol profissional custa, por mês, R$ 600 mil ao clube, fora o salário do treinador, que seria de R$ 700 mil. E a multa rescisória para demitir Luxemburgo giraria em torno de R$ 1,3 milhão, que é justamente um mês de gastos com o futebol profissional.

O impacto será grande: o clube passará a ter, da noite para o dia, uma comissão técnica de time e não mais de seleção, como é hoje. O treinador palmeirense já foi informado sobre os cortes, que atingirão as demais atividades esportivas do clube, e não apenas o futebol, mas ainda não se manifestou, coisa que deverá fazer oficialmente durante a reunião.

A medida visa adequar o clube ao cenário atual do futebol brasileiro e é fácil de ser entendida, se for assim explicada. Mas há mais. Dois diretores palmeirenses, amigos e conselheiros de Luiz Gonzaga Belluzzo, teriam jantado, na segunda-feira passada, 15 de junho, na casa do apresentador Fausto Silva, convidados para a costumeira pizza às segundas que o apresentador promove para amigos.

Ali, teriam conversado com Muricy, que teria sido receptivo à ideia de comandar o time de coração de seu pai na hipotética circunstância de o time ficar sem treinador e de ele, Muricy, ficar sem emprego - o que, talvez nem os diretores palmeirenses esperassem, aconteceu menos de uma semana depois.

Entre hoje e amanhã, Luxemburgo vai, portanto, ser colocado diante de um dilema: ou aceita os cortes orçamentários - que resultarão, entre outras coisas, em demissões, reduções salariais e diminuição com gastos de viagens - e sai desmoralizado do encontro, ou esperneia e vai embora, abrindo o caminho para Muricy Ramalho, que parece ser tudo o que a maior parte da diretoria palmeirense quer.

Demitido no São Paulo, Muricy Ramalho pode voltar a trabalhar em outro clube da capital paulista
Demitido no São Paulo, Muricy Ramalho pode voltar a trabalhar em outro clube da capital paulista
Foto: VIPCOMM / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade