Brasileiro Série A

publicidade
06 de outubro de 2011 • 12h15 • atualizado às 15h11

Para turbinar arena, Palmeiras fecha parceria com gigante mundial

Arena Palestra tem previsão para ficar pronta em abril de 2013
Foto: Aloisio Mauricio / Terra
 
Dassler Marques
Direto de São Paulo

Principal parceira do Palmeiras na construção da Arena Palestra, estádio que irá substituir o Palestra Itália, a WTorre anunciou nesta quinta-feira, em São Paulo, uma parceria para turbinar os cofres do novo empreendimento. Gigante mundial do setor, a americana AEG será responsável pela gestão do local segundo um contrato válido por 10 anos e renovável por outros 20.

O objetivo claro é fazer da arena palmeirense uma das cinco mais rentáveis do planeta, de acordo com a expectativa de Rogério Dezembro, diretor de novos negócios da WTorre e também ex-responsável pelo marketing do clube alviverde. "É um desafio para a AEG. O futebol é a premissa zero do estádio e eles vão em busca de também preencher o calendário com o maior número possível de atividades", definiu Rogério.

Atraída economicamente pela onda positiva em São Paulo e todo o Brasil, a AEG deve atuar na prospecção de eventos, convenções e shows para que a arena traga mais ganhos ao Palmeiras além da bilheteria das partidas. O grupo, que também opera com outras produtoras, promove eventos próprios e está envolvido, por exemplo, na turnê do cantor canadense Justin Bieber pelo País.

Segundo o acordo entre Palmeiras e WTorre, que custeia toda a construção da Arena Palestra, no máximo 45% dos recursos arrecadados com a realização de shows e demais eventos ficarão com o clube.

A AEG, que não dispôs de qualquer quantia para que o contrato fosse firmado, também será sócia nos negócios que conseguir atrair para o estádio palmeirense. Outra empresa envolvida é a Traffic, que negocia camarotes e espaços comerciais. Os palmeirenses irão ficar com 100% da arrecadação de bilheteria de partidas.

Parceira da empreiteira Odebrecht na gestão da Arena Pernambuco, sede do Estado na Copa do Mundo de 2014, a AEG tem contrato de exclusividade com o Palmeiras no Estado de São Paulo, o que não permite que a empresa trabalhe em conjunto ao Corinthians e a futura casa em Itaquera - também responsabilidade da Odebrecht.

"A Copa do Mundo é fantástica, mas dura apenas um mês. Estamos falando de 30 anos de parceria", argumentou Chuck Steedman, vice-presidente do grupo.

A diversidade e grandiosidade dos negócios da gigante americana é o que anima os administradores da Arena Palestra a respeito da parceria. Palcos consagrados como o Staples Center, casa do Los Angeles Lakers, a O2 Arena, em Londres, a Mercedes Benz Arena, em Xangai, e a LA Arena, também em Los Angeles, são geridos pela AEG. O grupo faz prospecção de negócios em estádios de 57 diferentes equipes de futebol.

Terra