PUBLICIDADE
Logo do

Avaí

Favoritar Time

Pela primeira vez na Série A, Corinthians x Avaí divide Zenon

2 ago 2009 - 10h25
(atualizado às 10h30)
Publicidade

Corinthians e Avaí se enfrentam no Pacaembu, neste domingo, às 18h (de Brasília), e certamente há poucos ídolos em comum que tenham vestido a camisa dos dois clubes. Zenon de Souza Farias, meia clássico que desfilou talento no futebol brasileiro nas décadas de 70 e 80, foi o maior desses. Aos 55 anos, ele fala com carinho sobre os momentos que viveu por ambos, que curiosamente se enfrentam pela primeira vez na história da Série A.

» Veja Leão, Luxemburgo e outros 10 treinadores bumerangues
» Receba os gols de seu time pelo celular
» Mano "esquece" momento do Avaí e cita a classificação
» Leia as últimas da Série A

"Olha, vou ficar muito dividido mesmo. Tenho simpatia muito grande pelos dois e pelo Guarani também. Foram clubes que me abriram as portas", explica Zenon, em contato com o Terra. Nascido na cidade de Tubarão, em Santa Catarina, ele foi revelado no Hercílio Luz, mas com 19 anos já chegou em Florianópolis para vestir as cores azul e branca.

"Naquela época, o Avaí era bem diferente, não tinha essa divulgação que tem hoje. Nem o futebol catarinense. Era um estádio bem acanhado (o Adolfo Konder, que prescedeu a Ressacada), para 5 mil pessoas. Precário mesmo", recorda Zenon, que chegou ao clube da capital em 1973 e permaneceu por três temporadas, sendo duas vezes campeão estadual.

Atual comentarista da TV Século XXI e professor em uma escola de futebol na Campinas, Zenon elogia o momento do Avaí, que disputa a Série A pela quarta vez em sua história e vem embalado por cinco vitórias consecutivas. "Vejo com bons olhos esse desempenho e fico muito feliz com o momento do time. Espero mesmo que mantenha essa pegada", diz. Um dos maiores ídolos avaianos, ele colocará seus pés no Memorial do clube em 21 de agosto.

Depois de passar com sucesso pelo Avaí, Zenon compôs o timaço do Guarani, campeão brasileiro em 1978 ao lado de grandes jogadores como Bozó, Renato e Careca. Em 1981, chegava do Oriente Médio para fazer história com a camisa do Corinthians.

No total, foram 304 jogos com a camisa corintiana e 59 gols marcados. Zenon foi bicampeão paulista em 1982/83 e se tornou um dos mais ilustres integrantes da Democracia, ao lado de Sócrates, Casagrande, Wladimir e outros jogadores.

Para o confronto de domingo, Zenon vê um equilíbrio grande, especialmente pela saída de jogadores que vem fragilizando o Corinthians. "Hoje, o Avaí vive um momento melhor, só que dificilmente você coloca isso dentro das quatro linhas. Mas o Corinthians, com esses desfalques, pode até dar uma chance".

Zenon, com a camisa da Seleção, marcou história por Avaí, Corinthians e Guarani
Zenon, com a camisa da Seleção, marcou história por Avaí, Corinthians e Guarani
Foto: Gazeta Press
Fonte: Terra
Publicidade