0

Souza elogia presidente afastado do Bahia e minimiza polêmicas

5 ago 2013
16h01
atualizado às 16h01
  • separator
  • comentários

O atacante Souza, do Bahia, não se esconde das polêmicas. Após manifestar apoio ao presidente afastado do clube, Marcelo Guimarães Filho, o jogador voltou a tocar no assunto, em entrevista coletiva dada no Fazendão. Souza, que deve estrear como titular neste Campeonato Brasileiro na partida contra o Atlético-PR, nesta quarta, também tocou em outros temas controversos.

Criticado pela torcida, Souza espera superar marca do atacante Zé Carlos, campeão brasileiro em 1988
Criticado pela torcida, Souza espera superar marca do atacante Zé Carlos, campeão brasileiro em 1988
Foto: Divulgação

"Só me manifestei como qualquer jogador poderia se manifestar. A gente sabe que hoje o Bahia está nessa situação que está, há dois anos se mantendo na Série A. Isso foi um projeto que o presidente montou. Eu não estou aqui para defender ninguém. Só me manifestei como qualquer um pode se manifestar normalmente", defendeu-se o atleta. No sábado, Souza havia declarado em sua conta na rede social Instagram que gostaria de ver a volta de Guimarães Filho. "Volta logo, meu presidente", disse.

Dentro do grupo do Bahia, Souza foi o primeiro (e até agora único) a se manifestar publicamente sobre a saída de Marcelo Guimarães Filho do comando do clube, enfatizando que o presidente afastado tem, sim, méritos pela boa campanha do Bahia neste Brasileiro.

"Não tenho o que falar do presidente, até porque eu e todos os jogadores que estão aqui no Bahia foi o presidente que trouxe. Hoje, o melhor treinador do Brasil que é o Cristóvão, e todo mundo comenta, foi ele que trouxe, através do Anderson Barros. Eu só manifestei uma coisa que o grupo todo sabe, que o grupo todo também sente a falta. A gente tem que ver que o presidente fez boas coisas aqui no Bahia desde que cheguei. Estou há três anos no Bahia, sou feliz aqui, hoje o time é um dos melhores do Campeonato Brasileiro, foi ele que montou esse time", argumentou.

As polêmicas e a relação com a torcida

A declaração do atacante no sábado não pegou bem entre a torcida do Bahia, que costuma criticar o atacante pelo seu desempenho em campo, suas longas passagens pelo departamento médico e pelas controvérsias fora das quatro linhas.

Desde que chegou ao Bahia, em 2011, o atleta já se envolveu em diversos problemas. No ano passado, foi acusado de agredir Adriele dos Santos Cerqueira, com quem se envolveu em uma briga, durante uma folga do clube – o jogador nega a acusação. Já este ano, em março, o jogador teve a carteira de habilitação apreendida após ser parado em uma blitz da Lei Seca, no Rio de Janeiro. Também foi apontado como um dos membros de uma "panelinha" que teria ajudado a derrubar o técnico Jorginho.

Mesmo assim, Souza não se considera destratado pela torcida. Pelo contrário, acredita que está entrando para a história da equipe baiana. "O torcedor do Bahia tem um carinho muito grande por mim. Sei que alguns ficaram chateados com o que eu falei por eu ser uma referência dentro do time, por eu estar a quatro gols de me tornar um dos trinta maiores artilheiros do Bahia. Então, cada vez que vai passando eu vou me firmando como ídolo da torcida", afirmou Souza, lembrando que está a quatro gols de se tornar o 30º maior artilheiro da história do clube. Caso atinja a marca, Souza, que já fez 82 jogos pelo Bahia e marcou 46 gols, supera Zé Carlos, campeão brasileiro pelo clube em 1988.

Neste ano, Souza, que recebe salário de R$ 180 mil (o maior do elenco), atuou em 11 partidas e marcou apenas um gol. Esteve de fora de 61% das partidas da equipe soteropolitana e foi manchete mais pelos episódios extracampo do que pelo que tem feito nos gramados. Mesmo assim, ele reafirma que não é perseguido pela maior parte dos torcedores da equipe.

"Quem disse que a torcida pega no meu pé? Você tinha que passar um dia comigo e andar no shopping, na rua, para você ver como o torcedor tem carinho por mim, cara. Nunca deixei de ir jantar, almoçar, porque eu vou onde quiser, faço o que eu quero, e o torcedor sempre me apoiou. Logicamente que eu não posso agradar todo mundo, tem um ou dois torcedores que não gostam de mim, mas isso em qualquer ambiente de trabalho tem", declarou.

Fonte: Paço Virtual - Comunicação, Consultoria e Projetos LTDA - ME - Especial para o Terra Paço Virtual - Comunicação, Consultoria e Projetos LTDA - ME - Especial para o Terra
  • separator
  • comentários
publicidade