PUBLICIDADE

Veja Leão, Luxemburgo e outros 10 treinadores "bumerangues"

2 ago 2009 - 09h00
(atualizado às 10h08)
Publicidade

Objeto de arremesso de origem incerta que, lançado ao espaço, realiza um voo curvo e retorna ao ponto de partida. A definição dada aos bumerangues, utilizados para caças e cerimônias religiosas, também se aplica a vários treinadores do futebol brasileiro, como Vanderlei Luxemburgo, Emerson Leão e outros.

» Dirigente do Palmeiras se irrita com especulações
» Botafoguenses lamentam sofrimento e veem vitória merecida
» Herrera desfalca Grêmio contra o Cruzeiro
» Leia as últimas da Série A

Nas linhas abaixo, o Terra lista os nove treinadores empregados, das duas primeiras divisões do Campeonato Brasileiro, que também fazem o papel de bumerangue, vivendo uma segunda passagem pelo mesmo clube em um curto espaço de tempo.

Confira a lista:

Vanderlei Luxemburgo - Santos

Pela quarta vez na carreira, Luxemburgo chegou na Vila Belmiro na última semana. O treinador, que também já dirigiu o Corinthians por duas vezes e o Palmeiras em outras quatro, normalmente se reveza entre o trio paulista. Flamengo, Cruzeiro e Paraná Clube foram as únicas "aventuras" do técnico fora de São Paulo.

Antonio Lopes - Atlético-PR

Treinador com 29 anos de carreira, o experiente Antonio Lopes foi anunciado no último sábado pela quarta vez no Atlético-PR em nove anos. Sua passagem mais marcante foi em 2005, conduzindo a equipe até a final da Copa Libertadores. De volta em 2007, teve um péssimo desempenho e quase "rebaixou" o time.

Renato Gaúcho - Fluminense

Contratado para livrar o clube da ameaça de rebaixamento, Renato Gaúcho chegou para as Laranjeiras, simplesmente, pela sexta vez. O treinador, que nunca dirigiu outro clube além de Vasco e Fluminense, viveu o ápice em 2008, com o vice da Libertadores, mas acabou saindo com o clube lá embaixo no Brasileiro - exatamente como pega de volta agora.

Carlos Alberto Parreira - Fluminense

Pela quarta década consecutiva, Parreira dirigiu o Fluminense. Na década de 70, foi um dos treinadores da Máquina Tricolor, enquanto em 84 dirigiu a equipe campeã brasileira. Em 99, retornou para tirar o time da Série C. A quarta passagem, em 2009, não foi tão feliz quanto as outras.

Hélio dos Anjos - Goiás

Vivendo sua quarta passagem pelo Goiás, Hélio dos Anjos poucas vezes obteve resultados tão expressivos em algum dos mais de 20 clubes que já dirigiu na extensa carreira.

Emerson Leão - Sport

Em 2009, Leão retornou para a Ilha do Retiro pela terceira vez. Foi técnico no Sport em 1987, em que venceu a polêmica edição do Campeonato Brasileiro, e também em 2001, quando fez bom trabalho e saiu para dirigir a Seleção.

René Simões - Coritiba

Campeão Brasileiro da segunda divisão, em 2007, René deixou o Coritiba logo após a conquista para mais uma aventura no exterior, fato comum em sua carreira. Querido pela torcida, retornou em 2009 para melhorar a situação ruim no ano do centenário.

Celso Roth - Atlético-MG

Técnico atleticano em 2003, Roth liderou a equipe na melhor campanha da história dos pontos corridos do Brasileiro. Alexandre Kalil, na época diretor do clube e hoje presidente, foi responsável por trazê-lo para o lugar de Leão. O gaúcho vai bem e lidera a Série A.

Mauro Fernandes - Atlético-GO

Campeão brasileiro da Série C pelo Atlético-GO, Mauro Fernandes deixou o clube para ocupar o lugar de Vágner Mancini no Vitória, mas não teve sucesso e foi demitido. Assim, o caminho para o retorno a Goiânia ficou livre. E ele não pensou duas vezes.

Paulo Comelli - Bahia

Em um intervalo inferior a um ano, Paulo Comelli vive sua segunda passagem pelo Bahia. Na ocasião anterior, o treinador paulista teve números razoáveis, mas não acabou mantido. Com a queda recente de Gallo, foi recontratado.

Ivo Wortmann - Juventude

Pela quarta vez em cinco anos, Wortmann dirige o Juventude. O treinador é um caso curioso, já que também comandou o Coritiba por três vezes nesta década. Em clubes maiores, como Fluminense e Cruzeiro, não convenceu.

Osvaldo Alvarez - Guarani

Havia 11 anos que Vadão tinha deixado o Guarani, mas ele retornou em 2009 para viver um dos melhores momentos do clube nos últimos tempos. Em sua terceira passagem pelo Brinco de Ouro, o treinador lidera a Série B com folga.

Sorridente, Vanderlei Luxemburgo agora dirige o Santos pela quarta vez na carreira
Sorridente, Vanderlei Luxemburgo agora dirige o Santos pela quarta vez na carreira
Foto: Ricardo Saibun / Gazeta Press
Fonte: Redação Terra
Publicidade