1 evento ao vivo

Veja números curiosos da 2ª rodada do Brasileiro

19 mai 2009
09h38
atualizado às 10h55

Além de inúmeros e bizarros erros de arbitragem, a segunda rodada, se analisada com a lupa da curiosidade, permite observações peculiares. Por exemplo: torcedores dos líderes 100% Inter e Vitória que acreditam no histórico dessa competição talvez não devessem ficar tão otimistas com o futuro de seus times: desde 2003, nunca aquele que venceu os dois primeiros jogos foi campeão. Veja abaixo essa e outras observações curiosas da rodada.

» Veja fotos da rodada
» Assista ao vídeo com gols da rodada
» Cariocas não marcam e paulistas decepcionam
» Comente a 2ª rodada do Brasileiro

Líder por um cartão

O Inter assumiu a liderança isolada da rodada nos acréscimos do segundo tempo. Mas não foi com o gol de D'Alessandro sobre o Palmeiras, que o igualou em gols pró (3), gols contra (0) e saldo de gols com o Vitória. Quem deu a liderança ao Inter foi Magal, meia do Vitória expulso no fim da partida contra o Sport. É este cartão vermelho que dá a vantagem do Internacional sobre o Vitória, já que ambos também estão iguais em cartões amarelos (4).

Cavalos paraguaios

Torcedores de Inter e Vitória, os únicos times com 100% de aproveitamento, não devem se empolgar ainda. Nesta era de pontos corridos, nunca quem venceu os dois primeiros jogos foi campeão. Pior: em 2007, 2 das 6 equipes com 2 vitórias na 2º rodada foram rebaixadas: Corinthians e Paraná. A melhor performance entre esses "early starters" foi em 2008, quando o Cruzeiro, que ganhou seus 3 primeiros jogos, foi 3º colocado ao final do campeonato.

Por outro lado

O único campeão dos pontos corridos que chegou à 2ª rodada invicto foi o Cruzeiro-2003, com 1 vitória e 1 empate. Nos 5 anos seguintes, Santos-2004 (1 vitória e 1 derrota), Corinthians-2005 (1 empate e 1 derrota), São Paulo-2006 e 2007 (1 vitória e 1 derrota) e São Paulo-2008 (1 empate e 1 derrota) deram seus tropeços iniciais.

Arbitragem

A rodada teve pelo menos 4 erros claros de arbitragem. O 1º definiu a vitória do Atlético-MG, que bateu o Grêmio com um pênalti mal marcado nos acréscimos, pelo árbitro Wilson Luiz Seneme. O 2º favoreceu o Santos, que abriu o placar contra o Goiás com Kléber Pereira, impedido. O 3º garantiu 1 ponto ao São Paulo, que marcou um gol impedido com André Lima, já no fim da partida. O 4º evitou a derrota do Botafogo, já que Carlos Eugênio Simon não viu Rodrigo Dantas puxar (e muito) a camisa de Ronaldo na área.Outros lances discutíveis:

- A expulsão de Júnior Caiçara, do Santo André, ainda no 1º tempo, ao levar um cartão amarelo por uma falta aparentemente normal. O árbitro era Antonio Hora Filho

- Dois pênaltis não marcados em São Paulo x Atlético-PR. O 1º, de Miranda em Marcinho; o 2º, de Rafael Santos em Washington. O juiz era Wilton Pereira Sampaio

- Um pênalti não marcado de Fabão, do Santos, em Jael, do Goiás, já nos acréscimos. Arbitragem de Ricardo Marques Ribeiro.

- Um gol anulado de Edcarlos, de cabeça, no empate entre Barueri e Fluminense. O zagueiro do Flu estava na mesma linha. O árbitro era André Luiz Castro.

Mais números

- A rodada teve 24 gols, 1 a menos que a anterior. 3 jogos terminaram em 0x0, fato que não ocorria desde a 15ª rodada de 2005, quando 4 das 11 partidas não tiveram gols.

- Os times da casa tiveram 4 vitórias, 5 empates e 1 derrota na 2 ª rodada, aproveitamento de 56,7% (cai para 51,7% se somadas as 2 primeiras rodadas).

- O Sport é o time que mais levou cartões até agora: foram 10 amarelos. O Botafogo foi advertido apenas 2 vezes. O Santo André, no entanto, é, pelos critérios de desempate, o time mais violento: foram 3 amarelos e 2 vermelhos.

Inter lidera o Brasileiro graças a um cartão de vantagem em relação ao Vitória
Inter lidera o Brasileiro graças a um cartão de vantagem em relação ao Vitória
Foto: Lucas Uebel/Vipcomm / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade