PUBLICIDADE
Logo do

Guarani

Meu time

Guarani desbanca campeões de 78 e entra para a história

9 ago 2013 11h28
| atualizado às 11h28
ver comentários
Publicidade

O Guarani de Tarcísio Pugliese ainda não conquistou o objetivo, que é o acesso, mas já escreveu seu nome na história. Com a vitória nesta quinta-feira sobre o Vila Nova, por 2 a 0, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, pela Série C do Brasileiro, o time chegou ao oitavo jogo seguido sem sofrer gol, quebrou a marca de 78 e é dono da melhor defesa do Brasil - ao lado do Tiradentes, que disputa a Série D.

Há 35 anos, o Guarani havia ficado sete jogos seguidos sem ser vazado, na campanha que terminou com o inédito título brasileiro. Agora, ainda sem ser vazado, o time está na liderança isolada do Grupo B da Série C, mas jogadores e comissão técnica sabem que tem muita coisa para acontecer e por isso adotam um discurso humilde. Apesar dos números serem indiscutíveis.

"É uma ótima sequência, mas precisamos manter os pés no chão, pois ainda tem muita coisa para acontecer ao longo do campeonato", destacou o técnico Tarcísio Pugliese, que comemorou na última quinta-feira 33 anos e ganhou mais um resultado positivo de presente.

Durante a campanha que terminou com o título brasileiro, o Guarani não sofreu gols nas vitórias sobre Botafogo-PB (1 x 0), Goytacaz (3 x 0), Botafogo-SP (1 x 0), Londrina (1 x 0), Sport (2 x 0 e 4 x 0) e Vasco (2 x 0). Já nesta Série C, a sequência histórica foi atingida com os seguintes resultados: vitórias sobre Mogi Mirim (1 x 0), Macaé (1 x 0), Duque de Caxias (1 x 0), Betim (1 x 0) e Vila Nova (2 x 0), e empates com Madureira, Caxias e Grêmio Barueri.

Um dos grandes responsáveis pela marca histórica é o goleiro Juliano, que salvou o Guarani em pelo menos três jogos neste início de Série C. No entanto, o camisa 1 prefere dividir os méritos com os companheiros, lembrando que a marcação começa lá no ataque, facilitando assim o trabalho dos defensores.

"Essa marca histórica que atingimos é fruto do sistema implantado pelo Tarcísio e pelo intenso trabalho de todos os jogadores. Afinal, como todos sabem, a marcação do Guarani já começa lá na frente. Todos ajudam e se doam ao máximo para alcançarmos essa segurança", comentou Juliano.

O último gol sofrido pelo Guarani foi no dia 21 de abril, quando perdeu para o União Barbarense, por 3 a 1, em casa, e se despediu da elite do Campeonato Paulista. Na época, o time era comandado de forma interina por Carlinhos, que trabalha nas categorias de base do clube.

Fonte: André Regi Esmeriz - Especial para o Terra André Regi Esmeriz - Especial para o Terra
Publicidade
Publicidade