3 eventos ao vivo

Treinador do Guarani assume que “provocou” Frontini

9 ago 2013
11h56
atualizado às 11h56
  • separator
  • 0
  • comentários

No segundo tempo do jogo entre Guarani e Vila Nova, o técnico Tarcísio Pugliese e o atacante Frontini tiveram uma discussão na beira do gramado e foram repreendidos pelo árbitro paranaense Edivaldo Elias da Silva. Após o apito final, os dois personagens se abraçaram e não criaram maiores polêmicas.

Na saída do gramado do Estádio Brinco de Ouro da Princesa, ainda comemorando a vitória por 2 a 0, o treinador bugrino preferiu não entrar em maiores detalhes sobre as discussões que teve com Frontini, mas disse que o objetivo principal era tentar desestabilizar emocionalmente o atacante adversário.

"A discussão é coisa de jogo. A chance dele desestabilizar alguém dentro de campo é muito maior que a minha, que está fora. Mas o nosso objetivo era o mesmo", garantiu Pugliese.

E o treinador estava certo. Apesar da derrota, Frontini elogiou o Guarani e deixou claro que a intenção era mesmo mexer com o emocional de Tarcísio Pugliese para ver se ele colocava o time campineiro mais para frente, facilitando a vida do Vila Nova. O que não aconteceu.

"Desde que seja na lealdade, vale de tudo. Minha intenção era tirá-lo do sério para ver se ele colocava outro atacante, pois estava difícil. O Guarani ficou postado com cinco homens atrás, aí era complicado fazer gol. Mas se trata de uma bela equipe", destacou Frontini.

No duelo do melhor ataque contra a melhor defesa, o Guarani levou a melhor e chegou ao oitavo jogo seguido sem levar gol, quebrando a marca histórica do time campeão brasileiro de 1978. De quebra, se isolou ainda mais na liderança do Grupo B, com 18 pontos.

Fonte: André Regi Esmeriz - Especial para o Terra André Regi Esmeriz - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade