PUBLICIDADE

Bom Senso rebate CBF, pede respeito a datas-Fifa e atenção a times menores

29 out 2013 17h08
| atualizado às 18h13
ver comentários
Publicidade
<p>Alex é um dos jogadores da integrar Bom Senso FC</p>
Alex é um dos jogadores da integrar Bom Senso FC
Foto: Daniel Ramalho / Terra

Membros do Bom Senso FC, grupo criado para promover mudanças no futebol brasileiro, emitiram nota oficial na tarde desta terça-feira em relação à reunião realizada na segunda com o presidente da CBF, José Maria Marin, além de representantes da arbitragem, de sindicatos de atletas e da Rede Globo, emissora detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, entre outras competições.

No texto, o grupo separa sete tópicos nos quais contesta informações divulgadas pela CBF após a reunião e cobra outras mudanças. Houve contestações, por exemplo, ao dado de que a pré-temporada em 2015 terá 30 dias de duração, quando na verdade serão “apenas 27” – 21 para os clubes que disputarem a fase pré-grupos da Copa Libertadores. Houve ainda cobrança quanto à definição do início dos estaduais por algumas federações (Paraná, Bahia, Goiás e Pernambuco).

Jogadores e dirigentes discutem rumos do futebol na CBF:

Além disso, o Bom Senso FC cobra mais atenção aos clubes menores, que não contam com calendário durante parte do ano. “Mais de 85% dos atletas no País não ganham mais que três salários mínimos. Sem calendário durante toda temporada, a situação tende a piorar”, diz o texto. Na reunião com a CBF, ficou definido que mudanças na estrutura do futebol serão realizadas na temporada 2015, já que a de 2014 está comprometida por conta da Copa do Mundo, que será realizada no País e tomará 45 dias (incluindo preparação).

Confira os tópicos ressaltados pelo Bom Senso FC em nota

a) Férias dos jogadores – a lei será respeitada em 2014. Os atletas terão direito aos 30 dias de férias obrigatórias (8 de dezembro de 2013 até 8 de janeiro de 2014). O reflexo será o prejuízo na preparação para o início das competições, além do risco à saúde dos atletas e queda na qualidade do espetáculo, em um ano desgastante. Ficou definido que os clubes da Série A envolvidos em campeonatos estaduais terão seu primeiro jogo oficial em 19 de janeiro. Ainda assim, existem federações, como dos estados do Paraná, Bahia, Goiás e Pernambuco, que não confirmaram a mudança de data. O Bom Senso FC aguarda um posicionamento da CBF e das respectivas instituições.

b) Pré-temporada – a pré-temporada de 2014 está comprometida já que, por enquanto, o Bom Senso FC obteve apenas a sinalização de que os clubes da Série A poderiam optar por usar equipes alternativas nas primeiras rodadas dos estaduais. O movimento entende os elencos profissionais dos clubes como homogêneos, onde todos os jogadores têm tratamento e condições de trabalho iguais, sem distinção entre titulares e reservas.

Em 2015, a preparação tem início previsto para 7 de janeiro, mas os clubes que disputarem a fase inicial da Libertadores atingirão apenas 21 dias de preparação. Com o início dos estaduais programado para 4 de fevereiro de 2015, essa preparação, que exposto pela CBF em nota teria 30 dias, seria de apenas 27.

c) Quantidade de partidas num período de 30 dias – a proposta do Bom Senso FC é que sejam disputadas o máximo de sete partidas em 30 dias. Significa que o clube que chegar à fase final de todas competições atingiria até 70 jogos no ano, considerando dez meses de jogos, já que dois meses estariam divididos entre férias e pré-temporada. Ao contrário do divulgado pela CBF, muitos clubes do Brasil têm feito mais de sete partidas por mês. De janeiro a maio de 2012, ano sem competições eventuais FIFA, Fluminense, Ponte Preta, Goiás, Corinthians, Coritiba e Vitória (citando alguns dos clubes presentes no encontro de segunda-feira) fizeram de 8 a 10 jogos a cada 30 dias, no período de janeiro a maio. Isso representa um dado diferente do que foi citado na nota da entidade e o movimento reitera a necessidade de mudança urgente para a temporada de 2015.

<p>Alex, Seedorf e Juan participam de reunião do Bom Senso FC</p>
Alex, Seedorf e Juan participam de reunião do Bom Senso FC
Foto: Daniel Ramalho / Terra
d) Limitação da quantidade anual de partidas – não ficou definido pela CBF o número máximo de partidas por ano e se ele se aplicaria a clubes ou jogadores. As últimas temporadas foram extremamente desgastantes para as equipes brasileiras. Por exemplo, de janeiro a maio de 2012, o número de partidas anuais dos mesmos clubes acima citados variou de 65 a 76 jogos. O número é exacerbado tendo por base o que acontece no futebol mundial. Como exemplo, o Chelsea alcançou o maior número de partidas da história de um time inglês na temporada passada, totalizando 69 jogos. O Bom Senso FC propõe 70 partidas anuais, número ainda superior ao recorde do Chelsea, sendo que a média dos principais clubes europeus nas cinco últimas temporadas é de 56 partidas/ano.

e) Fair play financeiro – o Bom Senso FC foi convidado pelo presidente do Coritiba Vilson Ribeiro de Andrade para ser parte efetiva da discussão do tema.

f) Preocupação com clubes menores – esta é uma grande preocupação do Bom Senso FC e percebemos que o tema não foi devidamente abordado e nem valorizado na reunião. Ocorreram pequenos avanços nas questões envolvendo a elite do futebol brasileiro, mas não houve nenhum posicionamento claro sobre projeto para melhorar e fomentar o esporte nos quatro cantos do país. O Brasil conta com quase 700 clubes profissionais e 541 deles não possuem atividade durante todo o ano. Esse debate precisa ser aprofundado. O grupo faz questão de lembrar que mais de 85% dos atletas no país não ganham mais que três salários mínimos. Sem calendário durante toda temporada, a situação tende a piorar.

g) Datas FIFA – o Bom Senso FC propôs debate sobre o prejuízo técnico para os clubes em datas FIFA, já que o Brasil é o único país das grandes ligas que não interrompe as rodadas quando existem jogos de seleções. Se os clubes entendem que não há esse problema na disputa das competições, o movimento aceita a posição. Porém, fica evidente a perda que todos sofrem, na medida que não contam com jogadores selecionáveis em partidas importantes. O levantamento do Bom Senso FC aponta que cerca de 20 atletas no futebol brasileiro estão frequentemente sendo chamados para representar seu país em datas FIFA (conferir lista abaixo). Todos os jogadores têm o desejo de defender a seleção, porém já observamos que várias vezes o profissional responsável pelo comando técnico do Brasil demonstra o cuidado em não prejudicar os clubes que disputam as competições locais e podem perder seus atletas em momentos decisivos dos campeonatos. Isso faz com que os profissionais que atuam na nosso país sofram com menos oportunidades de estarem no grupo selecionado.

Lista atletas selecionáveis: Lodeiro (Botafogo/Uruguai); Diego Forlán (Internacional/Uruguai); Valdívia (Palmeiras/Chile); Vargas (Grêmio/Chile); González (Flamengo/Chile); Mena (Santos/Chile); Guerrero (Corinthians/Peru); Ramirez (Ponte Preta/Peru); Luis Advíncula (Ponte Preta/Peru); Yotún (Vasco/Peru); Marcelo Moreno (Flamengo/Bolívia); Fred (Fluminense/Brasil); Victor (Atlético-MG/Brasil); Jéferson (Botafogo/Brasil); Diego Cavalieri (Fluminense/Brasil); Réver (Atlético-MG/Brasil); Dedé (Cruzeiro/Brasil), Jean (Fluminense/Brasil); Henrique (Palmeiras/Brasil); Pato (Corinthians/Brasil).

Veja a festa das torcidas pelo Brasil

Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade