Boletim

 Fale conosco
Série A
Quinta, 28 de julho de 2005, 01h02  Atualizada às 07h59
Renato Gaúcho: "Até grávida faria gol na gente"
 
Saiba mais
» Flamengo 0 x 0 Palmeiras
» Internacional 0 x 2 Paraná
» Brasiliense 0 x 0 Paysandu
» Figueirense 0 x 0 Coritiba
» Atlético-PR 7 x 2 Vasco
» Santos 0 x 1 Ponte Preta
» Atlético-MG 0 x 0 São Paulo
» Corinthians 4 x 3 Cruzeiro
» Fluminense 1 x 1 Goiás
» São Caetano 0 x 1 Botafogo
» Fortaleza 2 x 0 Juventude
» Confira como foram, lance a lance, as partidas da 15ª rodada
Galeria de fotos
» Veja fotos
Enquete
Flamengo e Vasco conseguirão escapar do rebaixamento neste ano?
sim
não

Sites relacionados
No terra
» Veja a classificação
» Confira os artilheiros
Fórum
» Comente os resultados da rodada
 Últimas de Série A
» Situação de Wágner Diniz preocupa CRB
» Liminha comandará Flamengo no início do Estadual
» Zagueiro Rodrigo desconhece oferta do Corinthians
» Palmeiras renova com goleiro Diego Cavalieri
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O técnico Renato Gaúcho, do Vasco, ficou envergonhado com o resultado de 7 a 2 para o Atlético-PR na partida desta quarta-feira, em Curitiba. De acordo com o treinador, deu tudo errado e até uma grávida faria gol ontem em sua equipe.

Confira como foi a goleada humilhante
Veja a situação do Vasco na tabela de classificação

"É muito difícil falar nessas horas. Já conversei com o grupo, falei para ele o que eu tinha vontade. Deu tudo errado. Uma mulher grávida de oito, nove meses faria gol na gente. O time jogou muito mal, o Atlético foi muito superior e do lado deles também deu tudo certo", disse.

Esta derrota foi a pior da história do Vasco em todos os Brasileiros, e Renato pediu desculpas à torcida.

"Não adianta querer tomar atitudes. Sou comandante e tenho que passar o que penso. Só nós podemos tirar o Vasco da situação. Peço desculpas em meu nome, no nome do grupo à torcida. Ninguém esperava isso e ninguém gosta de ver. Quando perde, perde todo mundo, quando ganha, ganha todo mundo. Todo mundo jogou mal, todo mundo errou. O que eu devia falar, já passei", afirmou.

Apesar de não considerar isso desculpa, o treinador vascaíno reclamou da falta de tempo para treinar o time e ainda falou sobre a possibilidade da chegada de reforços.

"Não temos tempo nem para treinar. Quando cheguei, vi que tinha trabalho, mas isso não é desculpa. Mas também ninguém consegue acertar da noite para o dia. Falei isso para o presidente. A gente precisa trabalhar para consertar as coisas. Sobre reforços, se ele puder me dar um jogador para fazer diferença, será bem vindo. Se for para ser mais um, não é necesssário", concluiu.


 

Lancepress!