Boletim

 Fale conosco
Série B
Sábado, 26 de novembro de 2005, 18h35 
Grêmio volta à elite após jogo tumultuado
 
Agência Lance
Gallatto foi o herói do Grêmio nesta tarde
Gallatto foi o herói do Grêmio nesta tarde
Sites relacionados
No terra
» Os artilheiros da Série B
» A classificação da Série B
Fórum
» Comente a classificação de Santa Cruz e Grêmio para a Série A
Galeria de fotos
» Confira fotos da rodada decisiva
Saiba mais
» Confira a campanha do Grêmio na Série B
» Confira a campanha do Santa Cruz na Série B
» Náutico 0 x 1 Grêmio
» Santa Cruz 2 x 1 Portuguesa
 Últimas de Série B
» Remo pode ser punido com perda de mando
» Sport tenta contratar Esley e Michel
» Guarani está próximo de anunciar dois reforços
» Coritiba deve perder meia-atacante Caio
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O Grêmio superou a pressão do Náutico, dentro e fora de campo, venceu por 1 a 0, neste sábado, no estádio dos Aflitos, em Recife, e garantiu seu retorno à elite do futebol brasileiro com o título da Série B. O jogo foi marcado por uma grande confusão no segundo tempo, quando houve uma paralisação de 25 minutos. Os pernambucanos perderam dois pênaltis no jogo, enquanto os gaúchos tiveram quatro jogadores expulsos.

Grêmio tem problemas fora de campo
Santa Cruz vence a Portuguesa e garante vaga na Série A
Confira a campanha do Grêmio

O lance que decidiu o jogo e gerou o tumulto aconteceu aos 35min do segundo tempo, quando foi marcado um pênalti pelo árbitro Djalma Beltrami, que precisou do auxílio do policiamento para não sofrer agressões mais graves. Depois da paralisação, mesmo com três jogadores a menos, já que o Náutico teve Batata expulso, o jovem Ânderson marcou o gol da salvação para os gaúchos.

O Grêmio, bicampeão brasileiro em 1981 e 1996, foi rebaixado na edição de 2004 e passou apenas um ano na segunda divisão. Já os pernambucanos jogaram na primeira divisão pela última vez em 1994.

A equipe dirigida pelo técnico Mano Menezes começou a enfrentar problemas antes mesmo de chegar o estádio, já que teve seu ônibus cercado por torcedores rivais e precisou de escolta policial até o vestiário.

Depois, impedidos de fazer o aquecimento em campo, os jogadores do time gaúcho ainda tiveram que enfrentar a irritação causada pela tinta a óleo usada para pintar o vestiário dos visitantes.

Com 15 minutos de atraso, foi dado início ao jogo, no qual o Grêmio mais uma vez precisou superar a pressão. Depois das equipes muito se estudarem, o Náutico perdeu a primeira grande chance de marcar aos 34min.

O zagueiro Domingos se atrapalhou dentro da área no domínio da bola, que sobrou para Paulo Matos. O atacante foi empurrado, e o juiz marcou o pênalti. Mas, na cobrança, Bruno Carvalho bateu forte e mandou na trave direita do goleiro Galatto.

Apenas dois minutos mais tarde, Paulo Matos puxou um contra-ataque pela esquerda, cortou para o meio e bateu forte, obrigando Galatto a fazer difícil defesa.

Já aos 38min, o time da casa perdeu a última boa chance de marcar na etapa inicial de jogo. Danilo recebeu de frente para Galatto, que saiu rápido do gol e salvou mais uma vez após o chute do meia.

O time pernambucano foi para cima do Grêmio logo no início do segundo tempo. Aos 4min, Galatto falhou em bola levantada na área, Paulo Matos bateu sem ângulo, e Domingos salvou os gaúchos.

A equipe visitante deu o troco logo no lance seguinte, aos 5min, quando Marcelo cabeceou livre, de frente para o goleiro Rodolpho, mas mandou a bola em cima do goleiro.

Já aos 26min, o atacante Kuki perdeu outra grande chance de marcar pelo Náutico. Ele recebeu dentro da área e, de frente para o gol, livre de marcação, chutou por cima do gol. A bola passou raspando travessão de Galatto.

A situação do Grêmio ficou ainda mais dramática aos 30min, quando Escalona recebeu o cartão vermelho em um lance infantil. O lateral-esquerdo, que já tinha cartão amarelo, interceptou um passe colocando a mão na bola e acabou expulso.

Apenas três minutos mais tarde, o Náutico foi prejudicado pela arbitragem. Miltinho invadiu a área rival e tentou driblar o goleiro Galatto, que colocou o braço no rosto do meia. O juiz Djalma Beltrami não marcou o pênalti e ainda mostrou amarelo para Miltinho.

Mas, no ataque seguinte, o time da casa foi recompensado. Paulo Matos chutou de fora da área, a bola bateu no cotovelo de Nunes e o árbitro marcou pênalti. Descontrolado, Patrício deu uma trombada no juiz e acabou expulso. Foi o início de uma grande confusão.

Os jogadores gremistas cercaram Djalma Beltrami, que acabou agredido por Marcelo. O policiamento precisou entrar em campo para proteger o juiz. Então, foi a vez dos gremistas reclamarem de agressão por parte dos policiais pernambucanos.

Após as expulsões de Nunes e Domingos e 25 minutos de paralisação, com direito também a invasão de campo de torcedor gremista, Ademar bateu mal o pênalti e desperdiçou, para desespero do estádio lotado.

Aos 63min, logo após a expulsão de Batata, o meia Ânderson fez uma bela jogada individual, fez a fila no time rival e tocou na saída do goleiro Rodolfo. O jovem aproveitou para provocar a torcida na comemoração.

A revolta tomou conta da torcida local, que passou a atirar objetos no gramado. O time pernambucano ainda tentou partir com tudo para cima, mas não conseguiu sequer o empate.

Ficha Técnica
Náutico 0 x 1 Grêmio
Equipes

Rodolpho
Bruno Carvalho
(Miltinho)
Tuca
Batata
Ademar
Tozo
(Betinho)
Cleisson
David
(Romulado)
Danilo
Paulo Matos
Kuki

Técnico:

Roberto Cavalo

Galatto
Patrício
Pereira
Domingos
Escalona
Nunes
Sandro
Marcelo
Marcel
(Ânderson)
Lipatin
(Marcelo Oliveira)
Ricardinho
(Lucas)

Técnico:
Mano Menezes

Gols

 

63min - 2º tempo
Ânderson
Cartões Amarelos
Bruno Carvalho
Tozo
Paulo Matos
Miltinho
Pereira
Lipatin
Cartão vermelho
Batata Escalona
Nunes
Patrício
Domingos
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Árbitro: Djalma Beltrami (RJ)

 
Redação Terra