Boletim

 Fale conosco
Brasileiro 2006
Segunda, 4 de dezembro de 2006, 23h13 
Série de gafes marca prêmio Craque do Brasileirão
 
Agência Lance
Envergonhado, Ceni teve de participar de longa apresentação com palhaço do Cirque du Soleil
Envergonhado, Ceni teve de participar de longa apresentação com palhaço do Cirque du Soleil
 Últimas de Brasileiro 2006
» Goleador da Série B está perto do Atlético-MG
» São Paulo contrata meia Hugo, diz jornal
» Internautas põem cinco são-paulinos na seleção do Brasileiro
» Série de gafes marca prêmio Craque do Brasileirão
Busca
Busque outras notícias no Terra:
O prêmio Craque do Brasileirão, festa que elege os melhores jogadores do Campeonato Brasileiro, realizada nesta segunda, no Rio de Janeiro, foi marcada por uma seqüência de gafes, protagonizadas, em sua maioria, pela atriz Taís Araújo, apresentadora do evento.

Veja reportagem em vídeo
Veja fotos da festa
São Paulo domina seleção
Opine: você concorda com a seleção do Brasileiro 2006?
CBF elege Rogério como craque do Brasileiro
Internautas elegem Renato como o melhor do Brasileiro
Artilheiro Souza recebe prêmio
Gaciba é o melhor árbitro

A principal falha cometida pela atriz aconteceu no anúncio do melhor segundo volante. Os jogadores Josué e Maldonado não compareceram ao Teatro Municipal, no Rio de Janeiro. O zagueiro são-paulino Fabão subiu ao palco para representar o companheiro Josué.

Mostrando não ter muito conhecimento de futebol, Taís Araújo disse: "Fabão está representado o Maldonado. Está faltando só o Josué". Ao anunciar que o jogador chileno tinha conquistado o troféu de bronze, Taís cometeu mais um erro, falando que Maldonado atuava pelo Cruzeiro, em vez do Santos.

Quando percebeu a agitação do público com as gafes cometidas, a atriz pediu a compreensão da platéia. "Tem que dar um desconto que eu sou mulher".

A atriz não parou por aí. No anúncio da eleição dos três melhores árbitros do torneio, Taís Araújo errou o nome do paranaense Heber Roberto Lopes, chamando-o de Rerber.

O ator Evandro Mesquita, que apresentava o prêmio com Taís, também cometeu sua gafe. Ao homenagear a Seleção Brasileira de vôlei, Mesquita deslizou na língua portuguesa. "Queria parabenizar os 'bicampeães' do vôlei".

A organização do evento deu sua contribuição para a seqüência de erros, ao errar o nome dos jogadores no telão. O meia Renato, do Flamengo, foi confundido com o zagueiro Renato Silva. Os técnicos Muricy Ramalho e Mano Menezes, viraram "Murici" e "Mano Menenzes".

Outro erro da organização foi colocar o gol do são-paulino Aloísio na Copa Libertadores, contra o Palmeiras, no clipe que deveria conter apenas as melhores jogadas do atacante no Campeonato Brasileiro.

Os atletas também entraram na sessão de gafes. Primeiro, Rogério Ceni teve de passar por momentos embaraçosos com um palhaço do Cirque du Soleil. Nitidamente envergonhado, o capitão são-paulino contracenou com o artista, que fez uma longa apresentação no palco.

Depois, o volante Andrade subiu ao palco para representar Morais, sendo que o meio-campista já estava no local para receber a premiação. Ao perceber a falha, o volante desceu, sem graça, do palco.

Por último, uma das moças que entregavam o prêmio aos jogadores, deu o troféu de bronze a Soares, do Figueirense, em vez de entregar para o colorado Iarley.
 

Redação Terra