Série C

Série C

Quinta, 29 de novembro de 2007, 09h39  Atualizada às 09h58

Coordenador acredita em "vista grossa" na Fonte Nova

Marcos Guedes
Direto de São Paulo
Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Busque outras notícias no Terra:

O coordenador do Sindicato de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), Vicente de Castro Mello, disse nesta quinta-feira que acredita em vista grossa por parte das pessoas que sabiam das condições do Estádio Fonte Nova. No último domingo, um pedaço da arquibancada desmoronou e provocou a morte de sete torcedores que assistiam à partida entre Bahia e Vila Nova pela Série C do Campeonato Brasileiro.

» Laudo era dispensável para
interdição, diz promotora

Presente no Encontro Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Enaenco), que tem como tema deste ano o "Brasil antes e depois da Copa 2014", Mello afirmou que era impossível freqüentar o estádio e não perceber que a situação estava longe da ideal.

"(A situação) impressionava a qualquer pessoa. A olho-nu já dava para perceber que era precária a situação. Todo mundo fazia vista grossa, mas o problema sempre existiu", disse Mello, um dos organizadores da vistoria realizada pela Sinaenco que apontou as falhas de 29 estádios brasileiros.

De acordo com Mello, que durante o evento entregará ao ministro dos Esportes, Orlando Silva Júnior, o estudo feito pelo sindicato, a Fonte Nova apresentava problemas visíveis há mais três anos.

"O estádio está nesta condição há muito tempo. Quem foi na Fonte Nova nestes últimos três anos percebeu que a situação não era nada boa. Por que não se tomou uma decisão antes?", questionou.

Porém, Mello ressaltou que a proporção da tragédia foi maior do que a possível de prever. "Quando estive lá, no dia 13 de agosto, já imaginei o que poderia acontecer, mas não como aconteceu. Já havia me perguntado como permitiam entrar em uma espaço com aquelas condições", disse.

Redação Terra