Série C

Série C

Quinta, 29 de novembro de 2007, 11h51 

Sinaenco: pontos de infiltração atingem mais estádios

Marcos Guedes
Direto de São Paulo
Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Busque outras notícias no Terra:

O coordenador do Sindicato de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), Vicente de Castro Mello, disse nesta quinta-feira, durante o Encontro Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva (Enaenco), que outros estádios brasileiros sofrem com infiltração, mas em menor escala em relação a Fonte Nova.

» Coordenador acredita em "vista
grossa" na Fonte Nova

» Laudo era dispensável para
interdição, diz promotora

No último domingo, um pedaço da arquibancada do estádio de Salvador desmoronou e provocou a morte de sete torcedores que assistiam à partida entre Bahia e Vila Nova, pela Série C do Campeonato Brasileiro. A infiltração foi apontada como uma das causas.

"O Couto Pereira (em Curitiba), por exemplo, tem alguns pontos de infiltração. O Serra Dourada (Goiânia), o Machadão (Natal) e o Olímpico (Porto Alegre) também. Mas é apenas em alguns pontos, e não em tudo como a Fonte Nova", afirmou o coordenador, que ressaltou que a menor proporção não significa que o problema deve ser esquecido.

Mello, que é um dos organizadores da vistoria realizada pela Sinaenco que apontou as falhas de 29 estádios brasileiros, também destacou que o ranking de piores estádios não foi feito somente levando-se em conta a parte estrutural.

"Em uma visão geral, o Fonte Nova era o com piores condições, disparado. O Mineirão (Belo Horizonte) vinha em segundo, o Arruda (Recife) em terceiro, a Ilha do Retiro (Rcife) e o Vivaldão (Manaus) em quinto", contou.

Redação Terra