1 evento ao vivo

Com atuação de gala, Bayern goleia e está a um passo da final da Champions

23 abr 2013
17h40
atualizado às 17h45

Uma aula de futebol. Assim pode ser definida a vitória maiúscula do Bayern de Munique por 4 a 0 sobre o Barcelona, nesta terça-feira, na Allianz Arena, pelo primeiro jogo da semifinal da Liga dos Campeões. Müller, duas vezes, Mario Gomez e Robben marcaram os gols da goleada alemã. O detalhe curioso é que a última derrota por 4 a 0 do Barcelona aconteceu em 2007, para o Getafe, pela Copa do Rei.

Agora, os espanhóis precisam vencer por cinco gols de diferença para conseguirem o milagre de eliminarem o adversário. Os alemães podem perder por três gols, que mesmo assim avançam à final da Champions.

O JOGO

Contando com o apoio da torcida, o Bayern partiu para cima do adversário. E logo no primeiro ataque quase abriu o placar com Robben, após troca rápida de passes. Por falar em rapidez, o time alemão usou e abusou desse recurso na etapa inicial. Com uma equipe compacta e leve, sobretudo no meio de campo, o campeão da Alemanha na temporada aliava boa atuação na defesa e no ataque.

Mesmo com Messi em campo, era notório que o Barcelona, mesmo com sua qualidade indiscutível, encontrava dificuldades para impor seu estilo de jogo. Talvez fosse a tradicional paciência para definir o duelo na hora certa. Mas não. O time catalão, afetado por contusões e duelos mais desgastantes na fase mata-mata da Liga dos Campeões, parecia sentir o rival mais inteiro.

Não a toa que o Bayern teve as principais chances de gol no primeiro tempo. Em uma delas, após cruzamento de Robben, o brasileiro Dante escorou de cabeça e Müller, aproveitando desatenção de Piqué, abriu o placar para os donos da casa. A vantagem fez o Barça sair um pouco mais para o jogo. Messi só não empatou, na chance mais clara do time visitante, porque Dante evitou a finalização na hora certa.

O cenário, que já não era favorável aos espanhóis, piorou logo aos três minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio, Müller escorou para Mario Gomez, impedido, marcar o segundo gol dos donos da casa. Apesar de ainda ter maior posse de bola mesmo com o adversário sobrando, o Barcelona tinha dificuldades de penetrar na defesa alemã.

Já o Bayern, com uma boa vantagem na mão, usava a inteligência para sair em velocidade nos contra-ataques e continuar assustando. Contudo, o maior mérito da dupla Martínez e Schweinsteiger era a anulação de Iniesta e Xavi, muito bem marcados e pouco inspirados. Além disso, Messi, que era dúvida antes do duelo, não tinha liberdade e não estava em tarde inspirada.

Sabedor da importância de não levar gols em casa com dois gols de frente, Jupp Heynckes resolveu colocar o brasileiro Luiz Gustavo para dar maior proteção ao sistema defensivo. Apesar do "recuo", o Bayern chegou ao terceiro em uma bela jogada. Em troca de passes envolventes, Schweinsteiger encontrou Robben. O holandês passou por Jordi Alba e tocou na saída de Valdés.

A Allianz Arena, que está estava em festa, foi a loucura com o quarto gol, marcado por Müller. Nocauteado, como há muito não se via, o Barcelona não esboçou qualquer reação. A verdade é que o segundo jogo passa a ser, na teoria, mera formalidade. Ao que parece, a nova era do futebol tem tudo para ser do Bayern.

FICHA TÉCNICA:

BAYERN DE MUNIQUE 4 x 0 BARCELONA

Competição: Liga dos Campeões

Local: Allianz Arena, Munique (ALE)

Data/hora: 23/4/2013, às 15h45 (de Brasília)

Árbitro: Viktor Kassai (HUN)

Assistentes: Robert Kispal (HUN) e Gabor Erös (HUN)

Cartões Amarelos: Mario Gomez, Schweinsteiger e Javi Martínez (BAY); Bartra, Jordi Alba, Iniesta e Alexis Sánchez (BAR)

Gols: Müller - 24'/1ºT (1-0), Mario Gomez - 3'/2ºT (2-0), Robben - 27'/2ºT (3-0) e Müller - 38'/2ºT (4-0)

BAYERN DE MUNIQUE: Neuer, Lahm, Boateng, Dante e Alaba; Javi Martínez, Schweinsteiger, Robben, Müller (Pizarro - 38'/2ºT) e Ribéry (Shaqiri - 44'/2ºT); Mario Gomez (Luiz Gustavo - 25'/2ºT). Técnico: Jupp Heynckes.

BARCELONA: Valdés, Daniel Alves, Piqué, Bartra e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro (David Villa - 38'/2ºT), Messi e Alexis Sánchez. Técnico: Tito Vilanova.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade