3 eventos ao vivo

Com presença dos pais, Zé Eduardo chora em adeus e agradece a Neymar

20 jun 2011
18h41
atualizado em 21/6/2011 às 14h23
Dassler Marques
Diego Garcia
Direto de Santos

Em sua última entrevista antes de deixar o Santos, o atacante Zé Eduardo levou os pais à sala de imprensa, chorou muito e agradeceu a amizade do companheiro Neymar, seu principal parceiro no elenco. O jogador deixa o time alvinegro após a final da Copa Libertadores para defender o Genoa-ITA.

"Isso aqui é uma família. Quando eu cheguei aqui fui acolhido, o grupo me deu força. Todo mundo sabia da minha situação, a minha vida mudou. Eu já passei muita dificuldade, até pensei em parar de jogar bola. Se não fosse meu pai e minha mãe eu não estaria aqui hoje. Hoje estou feliz graças a Deus, todo mundo aqui dentro. Agradeço ao Muricy, que acreditou no meu trabalho e não me tirou nos 13 jogos em que fiquei sem marcar", afirmou.

Os pais do atacante também marcaram presença no CT Rei Pelé e se emocionaram bastante com as palavras do filho, que já passou por Grêmio, Cruzeiro e Palmeiras, entre outros. Com 23 anos, Zé Eduardo conseguiu emplacar no Santos e arrancou uma venda para o futebol italiano por 2,7 milhões de euros.

Melhor amigo de Neymar no elenco santista, Zé Eduardo era presença constante no dia a dia do astro e foi um dos mais brincalhões do grupo. Sobre a amizade com o camisa 11, o atleta continuou emocionado e não poupou elogios ao principal jogador em atividade no Brasil.

"O Neymar é meu amigo dentro e fora de campo, sempre está comigo. Não tenho só como amigo aqui dentro, saio pra jantar, meus pais conhecem os dele, é um cara especial, de caráter enorme. Vai ser um dos melhores do mundo com certeza", declarou o atacante. "O Neymar e o Edu Dracena foram dois caras fundamentais para mim no Santos", completou.

Mesmo tendo somado 26 gols em 81 jogos com a camisa alvinegra, Zé Eduardo passou por bons e maus momentos no clube. Com apenas um tento marcado nas últimas 15 partidas, a expectativa do atacante é dar adeus justamente com o título da Libertadores. O Santos entra em campo na próxima quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), contra o Peñarol-URU, precisando de um triunfo simples para erguer o troféu.

"Estou mais triste do que ansioso de chegar lá, na Itália, com todo respeito ao clube que acreditou no meu trabalho. Mas estou triste por deixar uma família, conquistei uma família aqui e muitas amizades. Agradeço pelo carinho do torcedor santista. Espero que faça o mar branco, de camisa branca, grande festa e com o titulo", finalizou o atacante, que se apresenta no Genoa no próximo dia 15 de julho.

Com informações da D.S. Garcia & Cia Ltda - Especial para Terra

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade
publicidade