5 eventos ao vivo

Com sombra de Ney Franco, Claudinei avisa: 'Não vou ficar como árvore'

9 ago 2013
18h22
atualizado às 18h48

A intenção do Santos de manter Claudinei Oliveira na comissão técnica do clube em caso de contratação de um novo técnico pode não acontecer. Nesta sexta-feira, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, Claudinei comentou sobre o seu futuro no Peixe e não garantiu permanência se for deslocado para auxiliar. Segundo o interino, o natural é que o profissional contratado chegue com seu homem de confiança. O Santos já contactou Ney Franco, ex-São Paulo, e o deixou em espera.

- A gente tem que tomar as decisões quando tiver de tomar. Tem de viver o dia a dia. Não sei se vou ter proposta para trabalhar como treinador, não sei dimensionar. Por isso, a cada dia, tenho de passar alguma coisa para vocês, torcedor, Santos e outras agremiações também estão assistindo. Agora, tenho de ter ciência e consciência de que, a cada jogo, é mais difícil um treinador que chegue ao Santos me querer por perto. Ele pode se sentir ameaçado, achar que não vou ajudar, até outro dia ele era técnico... -

- Não tenho inocêcia de achar que o cara que vai chegar aqui vai dizer: "Senta aqui no banco, amigão!". Ele vai trazer o coordenador dele e não quero ser uma árvore decorativa, sem função. Não é só o salário. Se nã tiver função, não tem sentido - completou o comandante.

Logo que assumiu o profissional e conquistou bons resultados, Claudinei recebeu um reajuste salarial da diretoria e ele mesmo disse que passou a ganhar como um auxiliar de clube da Série A. Na época, a intenção dos cartolas, além de valorizar o profissional, era de dar chance para que ele assuma o clube no futuro. Com os argentinos Marcelo Bielsa e Gerardo Martino, dois nomes procurados pelo Peixe, estava acertado que Claudinei seria auxiliar.

Agora, o preferido do Peixe e Ney Franco, que, coincidentemente, vem de um problema com um auxiliar. No São Paulo, o treinador teve problemas com Milton Cruz, auxiliar do Tricolor em comissão técnica fixa há anos. Claudinei negou que tenha relação com o episódio e reiterou sua justificativa.

- A gente não sabe o que aconteceu na realidade. O Ney fala que o Milton se afastou. O Milton fala que foi o Ney. A gente não tem que dá palpite em outra casa. Não vou julgar o trabalho lá. Eu falo porque é natural, tem de ter empatia. Uma pessoa que vem trabalhar no Santos hoje, vê Claudinei dando entrevista, é tecnico do Santos há dez jogos, é complicado achar que o cara vai chegar aqui e me chamar para ficar ali no banco com ele. depende muito da pesso - declarou o treinador.

Claudinei está no comando do time desde a saída de Muricy Ramalho. Ele comandou o time em 11 partidas, inclusive o amistoso contra o Barcelona, na goleada por 8 a 0 e obteve quatro vitórias, quatro empates e três derrotas. Apesar do aproveitamento satisfatório, a diretoria tem sido pressionada e já está inclinada a mudar o comando, principalmente em caso de derrota no domingo, contra o Cruzeiro, líder do Brasileirão.

Fonte: Lancepress! Lancepress!
publicidade