0

Confederação Africana condena ataques e convoca reuniões

8 jan 2010
22h34
atualizado às 22h38

Depois de a Fifa manifestar seu pesar pelo ataque à delegação de Togo em Angola, foi a vez de a Confedereção Africana de Futebol (CAF) emitir nota de repudio ao episódio desta sexta-feira. O comboio que levava os togoleses à sede da Copa Africana de Nações foi atacado na província de Cabinda. Nove pessoas ficaram feridas - entre elas dois jogadores do time nacional - e o motorista de um dos ônibus morreu.

» Fifa pede explicações e presta solidariedade à seleção de Togo
» Copa Africana não será cancelada, diz confederação
» Jogadores do Togo querem abandonar Copa Africana
» City informa que togolês Adebayor não está ferido
» Togoleses apontam feridos e relatam atentado: "parecia guerra"
» Ônibus da seleção do Togo é metralhado; motorista morre

No comunicado, a CAF diz estar "terrivelmente triste com os acontecimentos" e presta solidariedade ao time togolês.

A entidade indica que após o incidente concovou uma reunião de emergência para tratar o assunto. Na manhã deste sábado, uma delegação encabeçada pelo ministro do Interior, Roberto Leal Ramos Monteiro, o ministro da Juventude e Esporte, Gonçalves Manuel Muandumba, membros do gabinete do primeiro ministro angolano e da Confederação Africana chegarão à Cabinda. Neste mesmo dia, o primeiro ministro, António Paulo Kassoma, e o presidente da CAF, Issa Hayatou, se encontram para tomar decisões para garantir o bom andamento da competição.

O site do comitê organizador da Copa Africana ainda ignora os acontecimentos.

Obilalé foi uma das vítimas do ataque à seleção do Togo
Obilalé foi uma das vítimas do ataque à seleção do Togo
Foto: Getty Images
Fonte: Redação Terra
publicidade