1 evento ao vivo

Simão diz que Copa sem Portugal "não seria a mesma coisa"

17 nov 2009
15h17
atualizado às 15h32
  • separator

O atacante Simão, da seleção portuguesa, afirmou nesta terça-feira que uma Copa do Mundo sem seu país "não seria a mesma coisa", um dia antes do segundo confronto da repescagem diante da Bósnia.

» René: Uruguai é forte, mas não imbatível
» Federação Japonesa quer proibir cornetas na Copa
» Sudão destacará 15 mil policiais para Argélia x Egito
» Siga as principais notícias do Terra Esportes no Twitter

Os dois países voltam a se encontrar no modesto estádio Bilino Polje, em Zenica. No sábado, Portugal venceu por 1 a 0, no Estádio da Luz, em Lisboa.

"O jogo de amanhã (quarta) é o mais importante porque é o próximo e porque pode nos abrir as portas para o Mundial da África do Sul", comentou Simão.

O jogador do Atlético de Madrid lembrou que a seleção portuguesa sempre esteve em todas as grandes competições nos últimos anos e espera continuar esta sequência.

"Amanhã não vamos nos defender, iremos jogar da nossa forma. O mais importante será não levar gols e tentar marcar", comentou o atacante em entrevista coletiva após o treino em Zenica.

Simão também falou sobre os insultos e ameaças recebidas pela delegação portuguesa ao chegar a Sarajevo. "Vamos tentar ultrapassar todas as dificuldades", apontou, acrescentando que o gramado do palco da partida também não é o ideal.

Para o técnico Carlos Queiroz, Portugal chega com "grande motivação", e a pressão "está toda do lado da Bósnia". Ele disse que seus comandados buscarão o gol desde o primeiro minuto.

O treinador também apelou para a "experiência" do elenco português neste momento. "Vamos pressioná-los, jogar com a urgência que uma situação assim impõe".

Veja também:

Vai ter jogo? Editor do L! analisa imbróglio na partida entre Palmeiras e Flamengo pelo Brasileirão
EFE   
publicidade