0

Felipão quer Júlio César em campo: pode ser até na 10ª divisão

13 ago 2013
13h43
atualizado às 14h15
  • separator
  • comentários

Com jogadores que devem trocar de clube nas próximas três semanas, Luiz Felipe Scolari indicou preocupação sobre o futuro de alguns na temporada que se encerrará com a Copa do Mundo em junho do ano que vem.

<p>Júlio César deve deixar equipe que foi rebaixada à segunda divisão inglesa</p>
Júlio César deve deixar equipe que foi rebaixada à segunda divisão inglesa
Foto: Mowa Press / Divulgação

Nesta terça-feira, véspera do amistoso contra a Suíça em Basileia, Felipão falou sobre o tema e pediu sacrifícios financeiros e prioridade aos aspectos esportivos nas carreiras dos atletas. “Os jogadores vão ter que pensar na Seleção e não só na parte monetária”.

Um dos pontos centrais da preocupação, admitiu o treinador, é com o goleiro titular Júlio César. O Queens Park Rangers-ING foi rebaixado à segunda divisão inglesa e tem feito cortes em sua folha salarial. Júlio chegou a negociar com equipes italianas, entre elas Fiorentina e Napoli, mas não chegou a um acordo.

“Isso me preocupa e ele (Júlio) sabe que preocupa. (...) Que na terceira, na quinta ou na décima divisão, se possível, mas que jogue. Ou tente jogar”, declarou Felipão. O treinador citou exemplo de Dida, que a um ano da Copa 2002 não tinha oportunidades no Milan e, após conselho do treinador, pediu para ser emprestado ao Corinthians. E aí foi chamado ao Mundial.

Felipão ainda admitiu conversar sobre o planejamento de carreira com alguns dos jogadores e deu a entender que o volante Luiz Gustavo é um deles. O jogador está fora dos planos de Pep Guardiola no Bayern de Munique e discute sua transferência para outras equipes. “Eles me pedem atenção, perguntam, deixo sempre para o atleta. Mas se possível que vá a um clube em que tenha mais espaço. O Luiz vai ter que definir a vida dele”, citou.

O treinador, por fim, ainda analisou a transferência de Bernard para o Leste Europeu. “O Shakhtar é um clube muito organizado. O Lucescu (Mircea, treinador) já vem há muitos anos e fala um pouquinho de português. São sete ou oito brasileiros no mesmo clube, um campeonato bom, o Shakhtar disputa a Champions (League). Ele vai jogar em alto nível e terá orientação com um técnico diferente, que normalmente vai acrescentar alguma coisa”.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade