11 eventos ao vivo

França e Nigéria lutam em Brasília por vaga nas quartas de final da Copa

29 jun 2014
10h23
atualizado às 13h22

Concorrentes que não tinham o status de candidatos ao título no início da Copa do Mundo, França e Nigéria lutarão nesta segunda-feira às 13 (horário de Brasília) no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, para chegar às quartas de final, em mais um passo para a afirmação no torneio.

O favoritismo está do lado dos 'Bleus' que, mesmo sem Franck Ribéry, conseguiram vencer dois jogos na fase de grupos com grande atuação, contra Honduras (3 a 0) e Suíça (5 a 2). O empate sem gols na rodada final do grupo E com o Equador não chegou a apagar a boa impressão deixada na arrancada da competição.

Os nigerianos, por sua vez, tinham como objetivo prioritário o segundo lugar no grupo F, já que estavam alinhados com a Argentina, de Messi. O empate com o Irã (0 a 0) e a vitória sobre a Bósnia (1 a 0), foram o suficiente para carimbar o passaporte para as oitavas. Além disso, os Super Águias foram bem contra a 'Albiceleste', mesmo com a derrota por 3 a 2.

Para as duas seleções, a chance de erro acabou, então, a tônica será a busca pela vitória. Quem avançar terá pela frente o vencedor do duelo entre Alemanha e Argélia, que também será disputado nesta segunda-feira, às 17h (horário de Brasília), no Beira-Rio, em Porto Alegre.

A disposição doa França em sair dos 90 minutos com o resultado positivo e a classificação debaixo do braço, ficou evidente durante a semana. O meia Morgan Schneiderlin foi um dos que deixou bem claro como não imagina a vaga nas quartas de final sendo definida:

"Temos que tentar evitar os pênaltis. É uma loteria. Mas, se for preciso, temos jogadores com capacidade para fazer os gols", garantiu o jogador em entrevista coletiva concedida em Ribeirão Preto, onde a seleção 'bleu' se prepara.

Para o jogo, o técnico Didier Deschamps voltará a utilizar os titulares que foram poupados no duelo contra os equatorianos. Resta saber quem será utilizado no meio, Paul Pogba, que atuou contra os hondurenhos, ou Moussa Sissoko, que ganhou a vaga no duelo com os suíços. Na rodada final, ambos fizeram parte do "mistão" francês.

Outra dúvida é quando a presença do zagueiro Mamadou Sakho, que sofre com dores musculares na coxa esquerda, problema que apresenta desde o início da Copa. Caso não jogue, o defensor deverá ser substituído pelo experiente Laurent Koscielny, que entrou em campo contra o Equador.

Na seleção nigeriana, se dentro de campo tudo vai como planejado, fora dele surgiram os habituais problemas que envolvem delegações africanas. Na quinta-feira, alegando falta de pagamento de premiação pela participação na Copa, os jogadores não treinaram. Ninguém na delegação, contudo, fala abertamente sobre o assunto.

A escalação para o jogo também é "tema proibido", já que o técnico Stephen Keshi não deu muitas pistas sobre o time que vai para o campo. Certo é o desfalque do meia-atacante Michael Babatunde, que fraturou o braço ao levar bolada de um companheiro durante o jogo contra a Argentina.

Desde a estreia, os Super Águias mudaram o time, até acertar a equipe que fez bom jogo contra os bicampeões mundiais. Ao todo foram três alterações, que deixaram a equipe mais ofensiva, apagando a impressão ruim deixada no confronto com os iranianos.

Prováveis escalações:.

França: Lloris; Debuchy, Varane, Sakho (ou Koscielny) e Evra; Cabaye, Matuidi e Sissoko (ou Pogba); Valbuena, Benzema e Giroud. Técnico. Didier Deschamps

Nigéria: Enyeama; Ambrose, Oshaniwa, Yobo e Omeruo; Obi Mikel, Onazi e Odemwingie; Moses, Musa e Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

Árbitro: Mark Geiger (Estados Unidos), auxiliado por Mark Sean Hurd (Estados Unidos) e Joe Fletcher (Canadá).

Estádio: Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

EFE   
publicidade