3 eventos ao vivo

França enfrenta a Nigéria para confirmar favoritismo

29 jun 2014
09h29
atualizado às 09h47

A seleção da França entra em campo na segunda-feira em Brasília para enfrentar a Nigéria, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, e tem o favoritismo ao seu lado.

Os 'Bleus' parecem destinados a fazer uma grande campanha em um Mundial e passar vergonha na edição seguinte, a julgar pelas quatro últimas Copas: campeões na França-1998, eliminados na primeira fase na Coreia do Sul e Japão-2002, vice-campeões na Alemanha-2006 e novamente eliminados na fase de grupos na África do Sul-2010.

Com o histórico recente, o zagueiro Laurent Koscielny afirmou que a equipe conquistou o primeiro objetivo, "superar a fase de grupos".

"Agora queremos chegar o mais longe possível. Somos competitivos, ambiciosos. Sabemos que há um adversário e que podemos perder, mas queremos sair de cabeça erguida. Vamos dar tudo para continuar no Brasil", disse.

Na partida, programada para as 13H00 no estádio Mané Garrincha, o técnico francês Didier Deschamps ainda não sabe se contará com o zagueiro Mamadou Sakho, que sente dores na coxa, mas que treinou no sábado à tarde com a equipe.

Ao analisar a história da França nas Copas, quando o país consegue passar da primeira fase costuma ir longe no torneio, até as semifinais no mínimo.

Desde 1958, a França cumpriu a curiosa tendência em cinco Mundiais e espera repetir no Brasil-2014. Mas para isto precisa superar a Nigéria.

A imagem deixada pelo time francês na fase de grupos, com duas vitórias e um empate, deixou para trás a 'tragédia' da Copa da África do Sul-2010, quando os 'Bleus' não superaram a primeira fase e seus jogadores chegaram a anunciar uma greve.

"A partida contra a Nigéria será complicada, como as partidas contra todos todos os times africanos. Eles jogarão atrás, esperando o contra-ataque. Mas nós faremos o nosso jogo: tentar criar perigo e vencer", disse o atacante Antoine Griezmann.

Karim Benzema, que já fez três gols na Copa, é um dos líderes da 'renascida' França e fez a torcida esquecer até o momento a ausência de Franck Ribery. O jogador do Real Madrid também joga com mais liberdade, já que não estava no grupo que disputou o Mundial da África do Sul.

França e Nigéria não farão o treino de reconhecimento de gramado em Brasília, já que o campo do estádio Mané Garrincha está sendo poupado para a partida.

A Nigéria treinou no sábado ao sol do meio-dia na capital brasileira, com temperatura de 26ºC, para tentar se acostumar ao ar seco da cidade.

De acordo com a assessoria de comunicação do time, os jogadores comandados pelo técnico Stephen Keshi - o primeiro técnico africano na história a comandar uma equipe que alcança as oitavas de final - superaram qualquer problema econômico e estão concentrados para o jogo das oitavas.

A imprensa nigeriana informou que os jogadores exibiram o pagamento antecipado da premiação pela participação na Copa, mas o assessor de imprensa, Ben Alaiya, descartou a situação.

"Não existe problema. Todos os pagamentos estão em dia. O ambiente no time é ótimo e estamos concentrados para o jogo", disse, em uma tentativa de acabar com os boatos.

Benzema pode encontrar problemas para superar o goleiro nigeriano Vincent Enyeama, jogador do Lille, que é considerado um dos melhores do campeonato francês.

Na derrota de 3-2 da Nigéria para a Argentina, Enyeama travou um bom duelo com Lionel Messi, que anotou dois gols.

A Nigéria deve contar no ataque com a dupla Ahmed Musa e Emmanuel Emenike. No meio, a criação ficará por conta de Obi Mikel, jogador do Chelsea que ainda não brilhou na Copa, mas pode gerar problemas para a defesa francesa.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade