1 evento ao vivo

França sofre muito, mas vence Nigéria e volta a superar barreira das oitavas

30 jun 2014
15h11
atualizado às 15h12

A França bateu a Nigéria por 2 a 0 nesta segunda-feira no Beira-Rio, em Porto Alegre, e garantiu vaga nas quartas de final da Copa do Mundo em um jogo com placar que não revela o sofrimento dos 'Bleus' para obter a vitória, já que até os 34 minutos do segundo tempo o empate persistia.

O primeiro gol da partida saiu depois de momentos angustiantes para os campeões mundiais em 1998. Foram pelo menos três chances perdidas, até que o meia Paul Pogba, de cabeça, enfim venceu o goleiro Vincent Enyeama, que vinha tendo ótima atuação.

Os Super Águias, que foram melhores durante boa parte do jogo, não conseguiram reagir e acabaram abatidos aos 46 minutos da etapa final quando o zagueiro Joseph Yobo marcou contra, definindo o placar.

Com a vitória, além de se garantir nas quartas de final, os franceses mantiveram o ótimo retrospecto na fase de oitavas. A última vez que a seleção do país caiu no primeiro mata-mata de um Mundial foi em 1934. Depois, vieram classificações em 1938, 1986, 1998 e 2006.

Agora, a França aguarda o vencedor do confronto entre Alemanha e Argélia, que acontece ainda nesta segunda-feira, às 17h (horário de Brasília), no Beira-Rio, em Porto Alegre. O jogo das quartas de final, por sua vez, será nesta sexta-feira, às 13h, no Maracanã.

Franceses e nigerianos foram para o jogo com poucas mudanças com relação aos times que os respectivos técnicos consideram ideais. Deschamps teve como único desfalque foi o zagueiro Sakho, lesionado, que deu lugar Koscielny. Já no meio, Pobga ganhou disputa com Sissoko e foi escalado. Na Nigéria, Moses ficou com a vaga de Babatunde, que fraturou o braço no jogo contra a Argentina.

O panorama do início do jogo foi, de certa forma, surpreendente, já que teve os nigerianos assumindo as ações, dominando a posse de bola e arriscando jogadas ofensivas. A dificuldade dos Super Águias de entrar na área, contudo, era evidente. Já os 'Bleus' mal conseguiam passar da linha central do campo.

Aos 18, a acuada França tomou um susto quando Moussa cruzou da esquerda e Emenike se antecipou a zaga e tocou de leve para o fundo das redes. A arbitragem comandada pelo americano Mark Geiger anulou o lance, marcando impedimento do centroavante.

A resposta francesa veio três minutos depois, em lance cheio de estilo. Pogba iniciou jogada pela zona central, serviu Valbuena na direita e foi para área, finalizando de virada para boa defesa de Enyeama após o cruzamento do companheiro.

Os dois lances deixaram o jogo em ritmo frenético, com as duas seleções partido sempre em alta velocidade pra o ataque. Apesar disso, as chances claras de gol não apareceram, principalmente pelo bom trabalho dos sistemas defensivos.

O jogo correu assim até os 38 minutos do primeiro tempo, quando Debuchy disparou, tabelou com Valbuena e soltou uma bomba da entrada da área. O chute, no entanto, acabou saiu sem direção. Pouco depois, aos 43, Emenike foi quem levou perigo, chutando de fora da área, para boa defesa de Lloris.

Para a etapa complementar, a seleção francesa voltou mais adiantada, pressionando mais. A primeira boa chegada, no entanto, foi nigeriana. Aos 6 minutos, Moses teve oportunidade de finalizar para o gol, mas deu um drible a mais e perdeu o ângulo, permitindo o desarme da zaga.

Três minutos depois, Matuidi deu dura entrada em Onazi, que torceu o tornozelo e teve de deixar a partida, dando lugar a Gabriel. O francês, por sua vez, foi advertido com cartão amarelo pela arbitragem.

Com a equipe novamente acuada, como aconteceu no primeiro tempo, Deschamps mudou o ataque, colocando Griezmann no lugar de Giroud, fazendo com que Benzema passasse a executar a função de centroavante. Ainda assim, a Nigéria seguiu melhor, e aos 19, Odemwingie teve chance, chutando de longe para defesa de Lloris.

Aos 24, funcionou pela primeira vez a alteração no setor ofensivo francês. Benzema arrancou, trocou passes com Griezmann e bateu em cima de Enyeama. Apesar da intervenção do goleiro, a bola seguiu em direção ao gol, e só não entrou porque Moses apareceu para evitar.

A partir daí os franceses passaram a acreditar que nada faria a bola entrar. Aos 31, Benzema pegou sobra após escanteio, bateu, e venceu Enyeama, mas a zaga cortou. No rebote, Cabaye arriscou da entrada da área e acertou o travessão. Dois minutos depois foi a vez do goleiro nigeriano fazer defesa em testada do atacante do Real Madrid.

Na sequência, o grito entalado na garganta do torcedor pôde ser solto aos 34 minutos do segundo tempo. Após cobrança de escanteio da esquerda executada por Valbuena, Enyeama saiu mal, fez leve desviou mas acabou jogando a bola na cabeça de Pogba, que tocou com consciência para o fundo das redes.

A pressão francesa não parou mesmo com a abertura do placar. Após longo lançamento, Griezmann invadiu a área pela esquerda em alta velocidade e soltou um foguete, obrigando ao goleiro nigeriano a se recuperar e fazer ótima defesa.

Entregue, a Nigéria não conseguiu resistir mais. Aos 44, após jogada rápida pela esquerda, Griezmann se antecipou a zaga, tentou tocar sem sucesso, mas contou com toque do zagueiro Yobo contra as próprias redes. A partir daí, o torcedor francês só precisou esperar o apito final para enfim comemorar a vitória.

Ficha técnica:.

França: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Cabaye, Pogba e Matuidi; Valbuena (Sissoko), Benzema e Giroud (Griezmann). Técnico: Didier Deschamps.

Nigéria: Enyeama; Ambrose, Yobo, Omeruo e Oshaniwa; Onazi (Gabriel), Obi Mikel, Moussa, Moses (Nwofor) e Odemwingie; Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

Árbitro: Mark Geiger (Estados Unidos), auxiliado por Mark Sean Hurd (Estados Unidos) e Joe Fletcher (Canadá).

Gols: Pogba e Yobo (contra) (França).

Cartão amarelo: Matuidi (França).

Estádio: Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

EFE   
publicidade