0

Governo: concessionário do Maracanã terá retorno em 12 anos

22 out 2012
13h18
Cirilo Junior
Direto do Rio de Janeiro

O governo do Rio estima que o consórcio que vencer a licitação para administrar e operar o Maracanã terá retorno do investimento em até 12 anos. O contrato de concessão terá duração de 35 anos, A projeção é que o concessionário possa ter receitas anuais de R$ 154 milhões, diante de despesas que somam R$ 43 milhões, fora o pagamento mínimo de R$ 7 milhões pela concessão, que será repassado ao Estado.

» Qual estádio em construção ou reforma será o mais bonito? Vote
» Tatu, gaucho e cachorrinho; veja evolução dos mascotes das Copas

Deve-se levar em conta ainda que o novo administrador do Maracanã terá que fazer investimentos estimados em R$ 469 milhões, que incluem a construção de um novo estádio de atletismo e um novo parque aquático. Os atuais (Célio de Barros e Julio Delamare), assim como o Museu do Índio, serão demolidos e darão lugar a estacionamentos e um Museu do Futebol.

"O concessionário deverá ter uma taxa de retorno de 9,8% em relação ao investimento, por ano", afirmou o secretário da Casa Civil do governo estadual, Régis Fichtner.

A previsão é que o processo de licitação que vai conceder o principal estádio do País esteja concluído na primeira metade do ano que vem. O Maracanã já deverá estar sob nova administração já na Copa das Confederações, na metade do ano.

O projeto com as alterações no Complexo do Maracanã foi desenvolvido pela IMX, empresa da área de esportes e entretenimento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. As novas áreas para a prática de atletismo e esportes aquáticos ficarão em São Cristóvão, num terreno do Exército, do outro lado da linha do trem que passa em frente ao estádio.

Segundo a secretária de Esportes, Márcia Lins, o Maracanã gerava lucro anual em torno de R$ 3 milhões por ano. Os R$ 7 milhões previstos como outorga anual poderão subir, de acordo com a proposta de cada consórcio. Levará a concessão do Maracanã quem apresentar melhor proposta financeira, aliada à demonstração de capacidade para administrar e operar o estádio, ressaltou Fichtner.

"Ganhará quem demonstrar quem tem condições de operar estádio desse porte e parte financeira. Temos que mudar padrão de estádios no Brasil, dando conforto para competir com a televisão e internet", observou.

Maracanã será administrado por consórcio que vencer a licitação
Maracanã será administrado por consórcio que vencer a licitação
Foto: Erica Ramalho/Secretaria de Obras / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade