1 evento ao vivo

Rússia diminui a menos da metade os custos para organização da Copa de 2018

23 mai 2013
14h04

O governo russo reduziu a menos da metade a previsão de custos para a organização da Copa do Mundo de 2018, passando dos US$ 18 bilhões para U$S 8,3 bilhões, anunciou nesta quinta-feira Igor Shuvalov, vice-primeiro-ministro do país.

"Cortamos por todos os lados, o que pudemos. O último número que apresentou o ministro dos Esportes, Vitaly Mutko, é de 250 milhões de rublos (US$ 8,3 bilhões). Isto é o mínimo", afirmou Shuvalov, de acordo com agências locais.

O vice-primeiro-ministro afirmou que esta redução inclui se refere a estádios e instalações, assim como infraestruturas referentes a aeroportos, estradas, imóveis e centrais energéticas.

O representante do governo classificou como exagerado o pedido de 540 milhões de rublos (US$ 18 milhões) feito em primeiro momento pelas regiões das 13 cidades que sediarão jogos do Mundial.

O Estádio Luzhniki, que será palco de uma das semifinais e a final, será apenas remodelado, e não demolido, como foi divulgado em um primeiro momento.

Já o estádio de São Petersburgo, em que será realizada a outra semifinal, está virando uma dor de cabeça dos organizadores, devido às mudanças de empresa responsável pela obras, assim como por casos de desvio de dinheiro público.

O presidente russo, Vladimir Putin, já advertiu publicamente os organizadores sobre a importância de controlar os gastos para a Copa do Mundo, assim como para os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, em 2014.

EFE   
publicidade