0

Scolari descarta Seleção com 3 zagueiros e ressalta "ofensivo" Hernanes

22 jan 2013
15h17
atualizado às 15h48
  • separator
  • comentários

Luiz Felipe Scolari não pensa em repetir, pelo menos de imediato, a formação tática da Seleção Brasileira pentacampeã do mundo em 2002. Logo após anunciar os 20 convocados para o amistoso de fevereiro contra a Inglaterra em Wembley, o treinador deixou claro que o esquema com três zagueiros está fora de cogitação para a equipe titular. Assim, quem pode ganhar chance são volantes com características mais ofensivas – caso de Hernanes, bastante elogiado pelo gaúcho.

Seleção com 3 zagueiros não faz parte dos planos de Felipão
Seleção com 3 zagueiros não faz parte dos planos de Felipão
Foto: Daniel Ramalho / Terra

A possibilidade de atuar com três zagueiros se dá especialmente por conta de David Luiz, zagueiro de origem que tem atuado como primeiro volante no Chelsea. No entanto, Felipão não acredita na possibilidade de escalar o defensor realizando uma função semelhante à de Edmilson, que flutuava entre o meio de campo e a defesa na Copa de 2002.

“Não é a nossa ideia iniciar com essa situação. Para isso acontecer é preciso no mínimo alguns dias de treinamento para testar uma Seleção com três jogadores assim”, explicou Felipão. “É preciso ter uma série de detalhes que só mais tarde poderei dizer se faço ou não. Em princípio, digo que no começo das partidas, não. No decorrer, pode ser”, emendou.

Scolari, aliás, deve dar preferência a jogadores de meio de campo com características diferentes em relação à Seleção de 2002 – na ocasião, atletas mais corpulentos atuaram como titulares resguardando a defesa. Desta vez, porém, atletas mais “leves” – e até mesmo mais ofensivos – podem ter oportunidades. Caso de Hernanes, que na Lazio tem atuado inclusive como meia de ligação.

“Não acho que o Hernanes seja um volante puro, como tínhamos antes com Mauro Silva e Gilberto Silva, atletas que se portam defensivamente e com menos ímpeto de sair para o ataque”, destacou Felipão. “Estamos observando os jogadores e convocamos atletas que joguem de maneira diferente. E ele não é especificamente um volante como falamos no Brasil, mas um homem que se aproxima do ataque”, analisou.

Contratado no final de novembro para substituir Mano Menezes no comando da Seleção Brasileira, Felipão reestreia no cargo no próximo dia 6 de fevereiro, data do amistoso com a Inglaterra, em Wembley.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade