1 evento ao vivo

SP recebe jovens de 20 países para Mundial de Futebol de Rua

4 jul 2014
07h30
atualizado às 08h43
  • separator
  • comentários

Jovens e adolescentes de 20 países disputarão a partir da próxima segunda-feira o Mundial de Futebol de Rua, que acontece em São Paulo paralelamente à Copa do Mundo. A principal característica do campeonato, que segue a metodologia do “Futebol Callejero” - criada pelo ex-jogador argentino Fabian Ferraro -, é que as regras são decididas pelos próprios jogadores antes do início de cada partida. Além disso, as equipes são mistas, formadas por garotos e garotas de 16 a 21 anos, e não há juízes, apenas mediadores.

Jovens fazem parte de uma das três delegações da Argentina
Jovens fazem parte de uma das três delegações da Argentina
Foto: Débora Melo / Terra

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

“Nem sempre quem faz mais gols ganha o jogo. Não é o resultado numérico que define o vencedor, e sim se os times seguiram as regras que eles próprios estabeleceram. Eles podem definir, por exemplo, que ganhará mais pontos quem fizer menos faltas”, disse Eleilson Leite, coordenador da Ação Educativa e coordenador-executivo do Mundial de Rua, após a cerimônia de sorteio das chaves, realizada na noite desta quinta-feira no Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.

“Tem gente que acha que pode ser monótono, mas é muito criativo”, continuou Leite. A contagem dos pontos, então, é feita no “terceiro tempo” da partida, na qual os times fazem uma avaliação do jogo e definem o vencedor.

Na fase de grupos, que começa na próxima segunda-feira e vai até o dia 11 de julho, as partidas serão realizadas no Largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste da capital. Já os jogos da semifinal e da final serão realizados no dia 12, em uma arena montada na avenida Ipiranga, na zona sul. Além das partidas, a programação do torneio conta com atividades culturais e debates diários.

Além do Brasil, que participa do Mundial com três delegações (duas de São Paulo e uma de Porto Alegre), participarão do campeonato times da Argentina (também com três delegações), Uruguai, Chile, Peru, Bolívia, Equador, Colômbia, Paraguai, Costa Rica, Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Israel, Panamá, África do Sul, Guatemala, Serra Leoa, Gana e Filipinas.

O paraguaio Alejandro Carrioza, 19 anos, conta que o Mundial está sendo uma ótima oportunidade para “compartilhar cultura”. Já para a argentina Micaela Rojas, 17 anos, que participa do Futebol Callejero há quatro anos, esta também é a chance de conhecer o Brasil, um país “espetacular”.

As delegações dos 20 países, que reúnem mais de 300 jovens, estão hospedadas em seis unidades do CEU (Centro Educacional Unificado) da Prefeitura de São Paulo: Paraisópolis, Jardim Paulistano, Tiquatira, Jaguaré, Butantã e Meninos.

Futebol Callejero

O Movimento Futebol Callejero (futebol de rua, em português) é uma rede latino-americana que envolve 12 países e aborda temas como violência, discriminação e exclusão social por meio do esporte, ao buscar no futebol uma estratégia para recuperar valores humanistas e impulsionar o desenvolvimento de lideranças nas comunidades.

“Nós queríamos recuperar o espaço público, recuperar a esperança. Então criamos um espaço não apenas esportivo, mas de cidadania, onde pudemos reconhecer nossos direitos”, conta o ex-jogador Fabian Ferraro. “É uma forma de promover o encontro da comunidade, de recuperar o futebol que nós sempre jogamos.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), esteve presente na cerimônia de abertura e disse que o futebol de rua é uma oportunidade para “fazer amizades”. “Eu sou de uma geração que jogou futebol na rua. Era assim que a gente conhecia os vizinhos”, disse Haddad, que afirmou que a cidade está “agradecida” por receber o evento.

Embora essa seja a terceira edição do torneio (que passou pela Alemanha, em 2006, e África do Sul, em 2010), essa é a primeira vez que o Mundial de Futebol de Rua ocorre de forma independente, sem a parceria da Fifa.

Confira como ficou o sorteio dos grupos da competição:

Grupo A

Serra Leoa, Chile, Bolívia, Brasil (polo SP B), Uruguai, Brasil (Porto Alegre)

Grupo B

Brasil (polo SP A), Guatemala, Israel, Panamá, Equador, Espanha

Grupo C

Filipinas, Costa Rica, Argentina B, Estados Unidos, África do Sul, Paraguai

Grupo D

Alemanha, Colômbia, Gana, Argentina (Futebol Inclusivo), Peru, Argentina (Defensores del Chaco)

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade