1 evento ao vivo

Vítima de Suárez, Chiellini reconhece "sanção excessiva" por mordida

27 jun 2014
09h36
atualizado às 09h48

O lance dentro da área italiana aos 34 minutos da etapa final jamais será esquecido. A Azzurra ainda tinha vantagem no duelo com o Uruguai por uma vaga nas oitavas de final da Copa do Mundo quando Luis Suárez mordeu o ombro de Giorgio Chiellini. Mas a própria vítima do atacante reconhece que a punição é maior do que deveria.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, o defensor italiano mostra-se solidário a Suárez e garante não guardar nenhum rancor do lance. Ele afirma que "a sanção aplicada é excessiva" e ainda diz esperar que a Fifa "permita a Suárez pelo menos estar junto de seus companheiros durante os jogos restantes, porque tal proibição é realmente alienante para um jogador".

Logo após a partida que sentenciou a precoce eliminação da Itália ainda na primeira fase, Chiellini chegou a cobrar a entidade por uma punição ao uruguaio. "Vamos ver se terão coragem de tomar alguma providência", cobrou na ocasião, sem imaginar o tamanho da pena que seria imposta dias depois.O uruguaio foi julgado pelo Comitê Disciplinar da Fifa e punido em nove partidas em competições chanceladas pela entidade. O Pistolero ainda teve sua credencial retirada nesta quinta-feira, estando assim proibido de entrar nos estádios. Ele também foi impedido de despedir-se dos companheiros antes de voltar ao seu país.

Mas a dura suspensão não para por aí. Suárez também não pode exercer nenhuma atividade ligada ao futebol durante quatro meses, portanto será desfalque até dos treinos do Liverpool, da Inglaterra, durante este período. O jogador deixa a Copa do Mundo com dois gols marcados.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade