publicidade
06 de abril de 2013 • 20h24 • atualizado às 20h25

Preservado por Felipão, Neymar admite: "quando vejo maldade, saio fora"

  • Dassler Marques
    Direto de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)
 

Luiz Felipe Scolari admitiu que a substituição de Neymar no intervalo, depois de marcar duas vezes contra a Bolívia, teve a intenção de preservá-lo para a vitória que se confirmou em 4 a 0, neste sábado, em Santa Cruz de la Sierra. Questionado sobre o assunto, apesar de não ter sofrido entradas muito ríspidas, o atacante apontou para sua experiência em fugir desse tipo de jogada. E admitiu cansaço pelo excesso de jogos.

"Estou muito atento a isso. Estou esperto. Quando vejo um cara vindo com maldade, já saio fora. Mas não teve entrada dura", minimizou. Antes, havia dito o contrário. "Foi amistoso só para vocês (jornalistas). Para a gente é totalmente diferente. Como se valesse três pontos ou final de campeonato. Quem está ali pensa que é amistoso, que não tem entrada dura, mas dentro de campo todo mundo quer ganhar", disse Neymar.

Felipão ressaltou que Neymar não pediu para sair da partida, mas afirmou que preferiu fazer a alteração para preservar o atacante. "Não tem nada de pediu ou não pediu (para sair). Tinha uma ou outra jogada que estava participando que poderia ser mais melindrosa, então preferimos que ele saísse e voltasse ao seu clube na melhor condição possível", declarou o comandante da Seleção Brasileira.

Felipão preferiu poupar Neymar e substituiu o atacante no intervalo
Foto: AP

Neymar ainda lembrou ter participado de dois jogos consecutivos, o que prejudicou suas condições. Na quinta, enfrentou o São Caetano no Pacaembu e marcou de falta no empate por 1 a 1. "Me senti bem, mas no finalzinho (do primeiro tempo) um pouco cansado por ter jogado quinta-feira. Mas me senti bem em ajudar a Seleção dentro de campo, com gol, e a Seleção em si foi muito bem".

Agora a uma convocação (para amistoso com Chile) da lista para a Copa das Confederações, Neymar também ressaltou as possibilidades que se abrem para alguns jogadores. Felipão, em sua entrevista, fez muitos elogios a Jean e Réver. "É uma oportunidade. O futebol é uma caixinha de surpresas e a oportunidade acontece diariamente. É uma oportunidade única e a gente tem que jogar da melhor forma possível".

Terra