0

"Professor vale mais que Neymar", clamam manifestantes no Castelão

19 jun 2013
10h30
atualizado às 11h40
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

"Brasil, vamos acordar; o professor vale mais que o Neymar". Tendo este grito como o mais usado, os manifestantes de Fortaleza adiantaram a concentração para o protesto no entorno do Estádio do Castelão - programado para as 10h, mas iniciado por volta das 9h em frente ao Makro da Avenida Alberto Craveiro, a principal via de acesso ao estádio.

Confira todos os vídeos da Copa das Confederações

O grito foi incorporado a outros que ficaram famosos ao longo das últimas semanas nas ruas das cidades brasileiras, como “da Copa eu abro mão por mais educação” e “vem pra rua”. Até o momento, o protesto segue pacifico, com a polícia apenas observando e prometendo um controle pacífico da situação.

Cerca de 40 mil pessoas confirmaram presença pelo Facebook no protesto que antecede o jogo entre Brasil e México, às 16h (de Brasília), pela segunda rodada do Grupo A da Copa das Confederações. Uma marcha até o Castelão está programada para as 12h (de Brasília) e existe o temor de confrontos como ocorreu em três dos quatro jogos disputados até aqui no torneio.

Os manifestantes ocuparam a Avenida nos dois sentidos da Avenida, mas permitiram a passagem de veículos em uma das pistas. Muitos motoristas atendiam aos pedidos e buzinava como forma de apoio ao protesto.

Além dos gritos e placas tradicionais, a política local entrou no ato com gritos contra o governador do Ceará, Cid Gomes, e contra a política de segurança pública, encampada pelo movimento Fortaleza Apavorada. Muitos cartazes também questionam a presidente do Brasil Dilma Rousseff. Mas as manifestações partidárias eram rebatidas com vaias.

Assim como em outras cidades, houve manifestos em apoio ao Movimento Passe de Livre, que significou o fortalecimento dos protestos em todo o Brasil. A Copa do Mundo e seu alto custo também é um dos principais questionamentos feito na manifestação.

Veja protesto antes de jogo do Brasil em Fortaleza

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade