0
Logo do Copa do Brasil
Foto: terra

Copa do Brasil

Em final dramática, Vasco conquista Copa do Brasil e coroa reações

8 jun 2011
23h53
atualizado em 9/6/2011 às 09h45

Com mais uma boa atuação fora de casa e uma falha improvável do goleiro Edson Bastos, o Vasco conquistou, nesta quarta-feira, o título da Copa do Brasil. No Estádio Couto Pereira, a equipe foi derrotada pelo Coritiba por por 3 a 2 e, com a vitória por 1 a 0 obtida em São Januário, garantiu o título inédito, confirmando a reação de um time que, no começo do ano, não dava qualquer indício de sucesso para 2011.

O Vasco está de novo no topo, depois de ser humilhado por times de menor expressão no Campeonato Carioca e viver grave crise. Mais: o time volta ao topo depois de disputar a Série B de 2009. Desde então, a torcida esperava esse engrandecimento que parecia jamais chegar. Trata-se do primeiro título de primeira divisão desde 2003, quando foi campeão carioca.

Depois de dez anos, o Vasco garante vaga para a Copa de Libertadores - a última disputada foi em 2001, por conta do título da Copa João Havelange em 2000. Isso só foi possível pelo desempenho como visitante: longe de São Januário, o time garantiu a classificação contra Comercial-MS, Náutico e Avaí, além de encaminhar a vaga contra o Atlético-PR. Já o Coritiba perde chance de encerrar jejum de 26 anos - em 1985, venceu o Brasileiro, seu último título nacional.

O Vasco tem batido na trave na Copa do Brasil desde 2006, quando ficou com o vice-campeonato ao perder a decisão para o Vasco. Fez boas campanhas em 2008 e 2009, mas acabou eliminado na semifinal. A conquista também é relevante para o técnico Ricardo Gomes, que chegou ao clube depois de passagem sem brilho pelo São Paulo e acrescenta ao currículo sua primeira taça nacional.

"Foi uma vitória com cara de Vasco da Gama", afirmou o presidente do clube, Roberto Dinamite, ex-jogador e ídolo da torcida, que agora consegue a primeira conquista de expressão em sua administração.

O jogo

O Vasco começou melhor o confronto e se impôs no gramado do Estádio Couto Pereira durante a maior parte do primeiro tempo. Levou o primeiro susto do segundo jogo da final, quando Marcos Paulo cobrou falta aos 7min e Fernando Prass espalmou. Por outro lado, abalou o rival ao abrir o placar aos 11min. Diego Souza lançou Eder Luís pela direita, que tocou para o meio da área, onde Alecsandro bateu com força para marcar.

Como o Coritiba não conseguia reagir - falhava na marcação e não se encontrava no ataque -, Marcelo Oliveira mudou ainda no primeiro tempo. Aos 27min, Marcos Paulo saiu para a entrada de Leonardo. Dois minutos depois, o time começou a melhorar ao arrancar o empate, ganhando fôlego. Jonas recebeu cruzamento na segunda trave e escorou para o meio da área. Bill aproveitou e completou para as redes.

O Vasco não mudou sua postura e continuou pressionando, mas deu cada vez mais brecha para a virada do Coritiba, o que aconteceu no final da primeira etapa. Aos 43min, a zaga cruzmaltina se atrapalhou de novo em jogada de cruzamento e deixou Rafinha dominar e bater. Fernando Prass fez grande defesa, mas Davi ficou com o rebote e fuzilou, estufando as redes no segundo gol do time anfitrião.

O segundo tempo começou com os times mais tensos, dividindo com força nas disputas de meio-campo. Por duas vezes, entradas fortes do atacante Bill quase iniciaram brigas no gramado. Aos 12min, no entanto, uma falha de Edson Bastos complicou o Coritiba. Éder Luís bateu de fora da área. Encoberto pela zaga, o goleiro errou o tempo da bola e aceitou o gol de empate dos visitantes.

O abalo do time alviverde foi vencido também com um chute certeiro, de longe: aos 20min, Willian pegou rebote após corte da zaga vascaína, dominou e acertou um petardo no ângulo esquerdo de Fernando Prass. O gol reascendeu a disputa e jogou o Coritiba para cima do rival, reclamando de pênalti de Dedé aos 25min e lamentando boa jogada desperdiçada por Bill aos 28min - foi travado na hora do chute.

Enquanto Marcelo Oliveira colocou o time para frente com as entradas de Marcos Aurélio e Eltinho, o Vasco recuou de vez com as saídas de Diego Souza e Felipe, substituídos por Jumar e Bernardo. Os minutos finais foram de pressão do Coritiba, que quase marcou com Bill aos 39min, após Fernando Prass se atrapalhar, mas se recuperar. O atacante perdeu outra grande chance aos 44min.

Os quatro minutos de acréscimos assinalados pelo árbitro Sálvio Spinola Fagundes Filho foram dramáticos. O Coritiba tentou finalizar de longe, cruzou bolas na área e quase perdeu a paciência diante da enrolação dos jogadores vascaínos. Só não conseguiu marcar o gol que quebraria o jejum de 26 anos sem conquistas nacionais de primeira divisão. O título inédito ficou com o Vasco, que fez a festa em Curitiba.

Coritiba 3 x 2 Vasco

Gols

Coritiba:
Bill, aos 29min, e Davi, aos 44min do primeiro tempo; William, aos 21min do segundo tempo
Vasco:
Alecsandro, aos 11min do primeiro tempo; Éder Luis, aos 12min do segundo tempo

Coritiba: Édson Bastos; Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes (Eltinho); William, Léo Gago (Marcos Aurélio), Marcos Paulo (Leonardo), Rafinha e Davi; Bill. Técnico: Marcelo Oliveira

Vasco: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Rômulo, Eduardo Costa, Felipe (Jumar) e Diego Souza (Bernardo); Éder Luis e Alecsandro. Técnico: Ricardo Gomes

Cartões amarelos
Coritiba: Léo Gago, Bill e Leonardo
Vasco: Eder Luis, Eduardo Costa, Felipe e e Jumar

Árbitro
Sálvio Spinola Fagundes Filho (Fifa/SP)

Renda/público:
R$ 892.060,00/ 35.141 pagantes

Local
Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

Fonte: Terra

compartilhe

publicidade